Publicidade

Cuiabá, Quarta-feira 30/09/2020

Economia - A | + A

PREVIDÊNCIA 01.12.2019 | 08h59

Aposentadoria por invalidez reduz para acidente no trajeto ao trabalho

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

O trabalhador que sofrer um acidente durante o percurso de ida ou volta ao trabalho e tiver de se aposentar não contará mais com o pagamento do benefício integral da aposentadoria por invalidez, pago pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) nesses casos. O mesmo vale para pensão por morte gerada por esse tipo de ocorrência.

 

O motivo é simples: a Medida Provisória nº 905/2019, mais conhecida como a MP Verde e Amarelo, deixou de classificar esse tipo de ocorrência como acidente de trabalho.

 

Leia também - Bolsonaro diz que governo não atuará para baixar o preço da carne

 

A alteração pode reduzir em até 40% o valor da aposentadoria por incapacidade gerada nesse tipo de deslocamento. No caso de pensão por morte, o valor do benefício cairá até 64%.

 

“É a ocorrência de mais um retrocesso social na esfera previdenciária, pois o cálculo do benefício do trabalhador em sua aposentadoria por invalidez cairá drasticamente, onde na maior parte dos casos o trabalhador que está indo ou voltando do trabalho perderá 40% do benefício", lamenta o advogado João Badari, especialista em direito previdenciário e sócio do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados.

 

Na pensão por morte, explica Badari, que é o benefíco pago no caso de o contribuinte vier a falecer, o valor cairá de 100% para até 36%. "O impacto social negativo é inimaginável."

 

MP também derruba estabilidade do empregado

utra mudança que promete afetar diretamente o trabalhador é o fim da estabilidade do empregado, em caso de alta do auxílio, e do depósito do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) pelo empregador durante o afastamento.

 

“A legislação atual estabelecia que o trabalhador tinha 12 meses de estabilidade após a alta dada pelo médico do trabalho. Se o acidente no percurso não é mais considerado acidente de trabalho, esta obrigatoriedade cai”, diz Ana Lee Carr de Muzio advogada especializada em direito do trabalho e previdenciário empresarial.

 

Com o fim dessa classificação também não cabe mais ação indenizatória acidentária, diz Badari.

 

O advogado destaca, no entanto, que a regra do trajeto não vale para acidentes ocorridos durante o horário de almoço.

“Nesse caso o profissional ainda está no meio da jornada de trabalho, por isso a regra não vale”, conta.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Na sua opinião, por que tantos candidatos milionários querem entrar na política?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 30/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,00 -0,52%

Algodão R$ 89,54 -0,27%

Boi a Vista R$ 132,80 0,61%

Soja Disponível R$ 74,50 -0,67%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.