Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 18/02/2020

Economia - A | + A

Salariômetro 23.01.2020 | 09h32

Salário de 25% das categorias subiu menos que a inflação em 2019

Facebook Print google plus

Marcello Casal/Agencia Brasil

Marcello Casal/Agencia Brasil

As negociações salariais firmadas entre patrões e funcionários no ano passado resultaram em reajustes abaixo da inflação para 25% das categorias de profissionais. Outras 25,6% receberam a reposição da inflação e a maioria dos acordos (49,4%) resultou em ganhos acima do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), correspondente à inflação paga às famílias de baixa renda.

 

Com os dados, divulgados nesta quinta-feira (23) pelo Salariômetro, da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), é possível afirmar que os trabalhadores de apenas 25 das 49 categorias conquistaram ganho real em seus salários ao longo do ano passado.

 

Leia também - Intenção de consumo das famílias tem melhor janeiro desde 2015

 

Em 2018, 75,5% das áreas de atuação tiveram altas salariais superiores à inflação e 14,6% foram agraciadas com reajustes iguais ao INPC. No período, somente 9,9% deixaram o ano com perda real.

 

O Salariômetro aponta também que o reajuste médio pago aos trabalhadores ficou na casa dos 4,3% no ano passado, valor 1,1 ponto percentual superior às negociações firmadas em 2018.

 

O indicador mostra ainda que o piso médio salarial dos trabalhadores brasileiros passou de R$ 1.261 para R$ 1.299 em 2019, valor que corresponde a uma alta pouco superior aos 3%. Entre todos os acordos celebrados no ano passado, 23 deles resultaram na redução de jornada e salário dos profissionais.

 

Na análise por categorias, amargaram as maiores perdas reais os trabalhadores ligados ao agronegócio da cana (-1,07), empregados domésticos (-0,44%) e lavanderias e tinturarias (-0,11%). De acordo com o índice, os reajustes menores foram compensados por benefícios maiores, como vale-alimentação, hora-extra e banco de horas.

 

 

Por outro lado, os maiores reajustes foram realizados para atuantes em condomínios e edifícios (+1,08%), limpeza urbana (0,7%), indústria cinematográfica e fotografia (0,69%) e distribuição cinematográfica (+0,63%).

Para este ano, as perspectivas do Salariômetro indicam que os trabalhadores só devem voltar a ter reajustes acima do INPC após o mês de abril, quando a inflação deve voltar a figurar abaixo dos 4% no acumulado dos últimos 12 meses.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

HELO - 23/01/2020

O SERVIDOR PÚBLICO DO EXECUTIVO DE MATO GROSSO ESTÁ SEM REPOSIÇÃO DESDE O ANO DE 2018. E O ATUAL GOVERNO NÃO ATENDEU OS REAJUSTE LEGAIS DE ALGUMAS CATEGORIAS SANCIONADOS POR GOVERNOS ANTERIORES.

1 comentários

1 de 1

Enquete

Como você aproveita os dias de Carnaval?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 18/02/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,05 -0,71%

Algodão R$ 90,04 -0,45%

Boi a Vista R$ 134,15 -0,07%

Soja Disponível R$ 66,90 -0,34%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.