Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 10/04/2020

Esporte - A | + A

presos há 2 semanas 19.03.2020 | 09h49

Juíza manda prender Dalia López, peça essencial no caso de Ronaldinho e Assis

Facebook Print google plus

Gloria Ferres

Gloria Ferres

Uma juíza declarou na última quarta-feira o estado de revelia e ordenou a prisão da empresária Dalia López, considerada peça fundamental no caso falsificação de documentos que levou o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e o irmão, Roberto Assis, à cadeia em Assunção.

 

A empresária deveria se apresentar a uma audiência para a imposição de medidas, depois que o Ministério Público a acusou de participação em um crime de produção e utilização de documentos públicos com conteúdo falso, bem como de associação para o crime.

 

Leia também - De quarentena, novo coronavírus obriga jogadores a fazerem exercícios em casa

 

Dalia está foragida desde então, embora tenha desempenhado um papel importante na recepção dos dois irmãos no aeroporto de Assunção, no dia 4 de março.

 

O advogado da empresária, Álvaro Arias, se apresentou ao juiz criminal Lici Sánchez para reiterar o pedido feito na véspera pela cliente para suspender a audiência a fim de evitar uma possível infecção pelo novo coronavírus devido ao fato de sofrer de hipertensão e diabetes tipo 2.

 

"Ela é uma pessoa que tem essas duas condições básicas. E se for infectada com esse vírus, terá problemas", argumentou Arias aos repórteres na entrada do Palácio da Justiça.

 

O advogado também salientou que sua cliente estará em risco se for exposta a essa audiência, no meio das duas semanas de quarentena decretadas pelo governo para parar a circulação do coronavírus.

No entanto, Sánchez declarou a empresária à revelia e emitiu um mandado de captura para que ela possa ser levada a outro tribunal criminal.

 

Dalia é identificada pelo Ministério Público como a chefe de uma rede dedicada a facilitar a produção e utilização de documentos de identidade e passaportes com conteúdo falso. Isto é parte da investigação aberta depois que Ronaldinho e Assis entraram no Paraguai através do Aeroporto Internacional de Assunção.

 

A empresária era a presidente da Fundação Fraternidad Angelical, que planejava apresentar um programa de assistência médica gratuita para crianças no Paraguai, com o apoio de Ronaldinho. A fundação foi dissolvida pelo Executivo logo após o escândalo ter sido desfeito.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

A cloroquina está liberada para o tratamento dos pacientes do coronavírus no Brasil, mas a polêmica continua

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 10/04/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 17,75 -0,56%

Algodão R$ 119,75 0,53%

Boi a Vista R$ 131,75 -0,69%

Soja Disponível R$ 62,60 -1,88%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.