Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 22/10/2019

Judiciário - A | + A

04.04.2016 | 14h11

Empresas de Mendes ganham mais 90 de prazo

Facebook Print google plus

O prazo de blindagem de 180 dias concedido ao grupo Bipar, do empresário e prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), em recuperação judicial desde outubro de 2015, foi prorrogado por mais 90 dias. A decisão é do juiz Flávio Miraglia Fernandes, titular da 1ª Vara Cível de Cuiabá, especializada em recuperações judiciais e atendeu a um pedido feito pelo grupo composto pelas empresas Bimetal Indústria Metalúrgica, Bipar Energia, Bipar Investimentos e Participações e Mavi Engenharia e Construções.

No pedido de prorrogação, o grupo empresarial argumenta que a medida se faz necessária até a data da nova assembleia geral dos credores e explica que o prazo de 6 meses transcorreu sem que se alcançasse a nova fase processual. Porém, as empresas argumentam que não tiveram culpa e pleitearam que o prazo fosse prorrogado para garantir que o grupo dê continuidade às diligências atinentes ao plano de recuperação judicial com a segurança e tranquilidade necessárias. As dívidas declaradas do grupo superam os R$ 102 milhões.

Os argumentos foram acolhidos pelo magistrado. “Destarte, como as recuperandas nitidamente não deram causa ao retardamento do feito recuperatório, uma vez que tem atendido todas as determinações judiciais e aos ditames da legislação peculiar, é plausível a prorrogação do período de blindagem até a realização da assembléia geral de credores para atender na plenitude o escopo do legislador ao editar a famigerada Lei de Recuperação Judicial de Empresas”, diz trecho da decisão proferida na última sexta-feira (1º de abril).

Conforme o despacho de Flávio Miraglia a nova assembleia geral de credores deverá ocorrer em até 90 dias, impreterivelmente, contados da intimação da decisão.

Entenda o caso

Com uma dívida de R$ 102 milhões, o Grupo Bipar protocolou pedido de recuperação judicial que foi aceito por Flávio Miraglia em outubro do ano passado. Ao acatar o pedido, o juiz magistrado ordenou a suspensão por 180 dias de todas as execuções e ações contra as devedoras por dívidas sujeitas aos efeitos da recuperação judicial. A lista de credores tem 929 nomes, entre bancos, empresas de factoring e funcionários que têm direitos trabalhistas para receber.

Fundador e presidente do Grupo Bipar, Mauro Mendes está licenciado da função em virtude do exercício de mandato como prefeito de Cuiabá. Em seu lugar, responde o diretor do Grupo Luis Nespolo que, ao explicar os motivos que levaram as empresas a recorrerem à recuperação judicial, citou quebras indevidas de alguns contratos e inadimplências, gerando prejuízos ao Bipar. O fato de Mauro Mendes estar exposto politicamente e ser investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal (MPF) na Operação Ararath é apontado como agravante porque "barra" a obtenção de crédito.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

Qual sua opinião sobre o comportamento do governo federal frente ao derramamento de óleo no Nordeste?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 22/10/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 23,50 -0,84%

Algodão R$ 90,68 -0,13%

Boi a Vista R$ 131,27 0,07%

Soja Disponível R$ 64,70 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.