Publicidade

Cuiabá, Domingo 12/07/2020

Judiciário - A | + A

derrotados no pleito 21.10.2019 | 13h39

Ex-deputados terão que ressarcir Assembleia por uso de carro oficial

Facebook Print google plus

Montagem/Gazeta Digital

Montagem/Gazeta Digital

Ministério Público (MP) de Mato Grosso abriu inquérito civil para investigar os ex-deputados Mauro Savi (DEM), Wagner Ramos (PSD) e Gilmar Fabris (PSD), por não terem ressarcido os cofres públicos durante o tempo em que utilizaram os carros alugados da Assembleia, após o fim do mandato eletivo deles. 

 

Leia também - Sob protesto e denúncia de fraude, Barranco é reeleito presidente do PT

 

De acordo com o promotor de Justiça, Arnaldo Justino da Silva, os 3 ex-parlamentares foram os únicos que não teriam ressarcido a Assembleia pelo tempo em que usaram os veículos mesmo sem mandatos.  

 

"A Procuradoria da AL-MT informou que houve ressarcimento dos valores por quase todos os (ex) deputados listados, mas que os ex-deputados Mauro Savi, Wagner Ramos e Gilmar Fabris que, com a conduta, causaram dano ao erário no valor respectivo de 19.053,51, R$ 2.394,26 e R$ 12.884,65, ainda não ressarciram", diz trecho do inquérito. 

 

De acordo com o MP, as investigações iniciaram após a informação de que vários ex-deputados estariam utilizando os veículos alugados do Legislativo mesmo após terem encerrado os seus respectivos mandatos. Consta no processo administrativa da Mesa Diretora da AL,  que outros ex-deputados também não devolveram tais veículos, como os deputados Romoaldo Júnior (MDB), Pedro Satélite (PSD), Saturnino Masson (PSDB) e Alan Kardec (PDT), deputado licenciado por atualmente responder pela secretaria de Esporte e Cultura do Estado.

 

Porém, tais deputados foram notificados em maio pela Mesa Diretora e pela 9ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa para que ressarcissem os cofres públicos, sendo que  Kardec, Romoaldo, Satélite e Masson, fizeram o ressarcimento à Assembleia. 

 

"O não ressarcimento dos danos por si só demonstra o dolo genérico de se beneficiar indevidamente da verba pública, o que caracteriza, em tese, ato de improbidade administrativa previsto no art. 10 da Lei 8.429/92, razão pela qual resolvo, nos termos da Resolução nº 052/2018-CSMP, instaurar Inquérito Civil Público em face de Mauro Savi, Wagner Ramos e Gilmar Fabris para a completa elucidação dos fatos", diz outro trecho do inquérito.

 

Outro lado

O ex-deputado Mauro Savi disse ao que ainda não foi notificado do inquérito e que fará a sua defesa dentro dos autos do processo. Já Gilmar Fabris e Wagner Ramos não atendeu as nossas ligações.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Você acredita na eficácia das barreiras sanitárias implantadas em Cuiabá?

Parcial

Edição digital

Domingo, 12/07/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,35 6,75%

Algodão R$ 92,92 0,48%

Boi a Vista R$ 135,33 -0,13%

Soja Disponível R$ 63,30 0,32%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.