Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 12/12/2019

Judiciário - A | + A

grampolândia pantaneira 21.10.2019 | 14h27

Juiz manda inquérito do STJ para força-tarefa da Polícia Civil

Facebook Print google plus

Divulgação

Divulgação

O juiz da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Jorge Luiz Tadeu, determinou a remessa de todo o inquérito da grampolândia pantaneira, que veio do Superior Tribunal de Justiça (STJ), para a força-tarefa da Polícia Civil que investiga o caso.

 

"Desta forma, ante o declínio de competência, proceda-se a distribuição do inquérito 1210/DF com urgência. Após, remeta-se à delegadas especiais designadas para dar comtinuidade às investigações relativas à operação cognominada Grampolândia Pantaneira", diz trecho da decisão é do último dia 17 de outubro.

O magistrado ainda determinou que todo os materiais apreendidos durante as investigações sejam remetidos para análise.
Com isso todos os computadores, celulares, documentos, vídeos e áudios que foram capturados durante 2017, incluindo a Operação Esdras, que prendeu vários secretários e ex-secretários da gestão Pedro Taques (PSDB), serão periciados pelas delegadas Ana Cristina Feldner e Jannira Laranjeira a partir desta semana.

 

"Quanto aos bens apreendidos, considerando que interessam à investigação, a qual ainda não foi concluída pela autoridade policial, remetam-se as caixas relacionadas na tabela anexa, com urgência às delegadas especiais", diz outro trecho da decisão.

Na prática, Jorge Tadeu liberou o inquérito que apura o suposto envolvimento do ex-governador Pedro Taques no esquema de arapongagem que teria sido instalado no âmbito da Casa Militar de Mato Grosso para monitorar adversários políticos do então governador.

 

A grampolândia pantaneira foi interrompida em 2017, após o pedido de Taques para que o STJ o investigasse, já que as investigações na época, sinalizavam que o governador sabia do esquema de interceptações telefônicas.

 

Com a remessa para o STJ, o ministro Mauro Campbell determinou a soltura de vários secretários e ex-secretários que haviam sido presos durante a Operação Esdras, que revelou uma tentativa de obstrução de justiça, ao tentarem gravar o desembagador Orlando Perri do Tribunal de Justiça (TJMT).

Na época foram cumpridos mandados de prisão contra o ex-secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas, o então secretário de Justiça e Direitos Humanos, coronel Airton Siqueira, do ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques, e ex-secretário da Casa Militar, coronel Evandro Lesco, sua esposa, Helen Chrysti, sargento João Ricardo Soler, major Michel Ferronato.

 

Força Tarefa
Atualmente as investigações da grampolândia conta com a coordenação da delegada Ana Cristina Feldner e Jannira Laranjeira. Com a remessa deste inquérito, Feldner deverá solicitar mais um delegado para reforçar as investigações.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

Enquete

Sobre projeto de lei que prevê prisão para quem deixar de vacinar criança ou adolescente

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 12/12/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,70 -1,14%

Algodão R$ 91,75 -0,26%

Boi a Vista R$ 134,83 0,62%

Soja Disponível R$ 67,15 -1,25%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.