Publicidade

Cuiabá, Sábado 24/10/2020

Judiciário - A | + A

paralisação 03.09.2020 | 09h59

Justiça proíbe Correios de descontar salário de grevistas

Facebook Print google plus

Sintect

Sintect

A ministra relatora do dissídio coletivo de greve dos trabalhadores nos Correios no Tribunal Superior do Trabalho (TST), Kátia Arruda, proibiu a ECT de fazer qualquer desconto nos salários dos trabalhadores em greve desde o dia 18 de agosto. Não há ainda data de julgamento do dissidio no TST. A greve continua.

 

O jurídico da federação nacional está tomando as devidas previdências para resolver sobre os descontos realizados nos salários de agosto.

 

A ECT ingressou com pedido de liminar requerendo a concessão de tutela provisória de urgência para que fosse declarada a abusividade da greve e determinada a volta ao trabalho, com fixação de multa de R$ 1 milhão para cada entidade sindical.

Na sua decisão, a ministra salientou que a greve só foi deflagrada em razão do impasse na negociação do acordo coletivo de trabalho 2019/2021.

 

Leia também - Ministro do STF mantém previdência de militares de MT em 9,5%

 

“Desse modo, não há como, em sede liminar e sem contraditório das entidades sindicais, emitir juízo de valor definitivo da qualificação da greve e a determinação de retorno de todos os trabalhadores ao serviço”, disse no despacho.

Diante disso, os trabalhadores nos correios em Mato Grosso mantém a greve.

 

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na ECT (Sintect), Edmar Leite, considerando a adesão da categoria, essa já é classificada para uma das maiores greves dos trabalhadores nos últimos anos. “A adesão é fundamental para a manutenção dos direitos dos trabalhadores e da dignidade de cada trabalhador cetista e a nossa orientação agora é intensificar e ampliar a greve”, disse.

 

Ações

Na quarta-feira  (2) entre 70 e 80% dos trabalhadores do Centro de Entregas e Encomendas (CEE) de Várzea Grande e Cuiabá cruzaram os braços.


A greve

A paralisação dos trabalhadores nos Correios, que completou duas semanas no dia primeiro, é contra a retirada de 70 dos 79 direitos do acordo coletivo firmado no ano passado, por concurso público e contra a venda empresa. Estão em discussão benefícios como o auxílio-alimentação e o desconto relativo a este pagamento, entre outras mudanças que, uma vez adotadas, representaram R$ 4.800 a menos para cada trabalhador ao fim de um ano inteiro, segundo o sindicato da categoria.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Rosino Manoel de Bonfim bonfim - 03/09/2020

CADE OS 30 % DOS SERVIDORES PRA ATENDEREM OS QUE PROCURAM PRA RETIRAR AS ENCOMENDAS ????

1 comentários

1 de 1

Enquete

Como você avalia a ausência de um candidato convidado para debater com adversários?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 23/10/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 61,00 2,52%

Algodão R$ 125,19 1,55%

Boi à vista R$ 242,24 0,00%

Soja Disponível R$ 161,50 0,31%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.