Publicidade

Cuiabá, Sábado 08/08/2020

Mande seu Whats - A | + A

casamento era abusivo 16.06.2020 | 16h20

Mulher pede ajuda para sustentar gêmeas em Várzea Grande

Facebook Print google plus

Divulgação

Divulgação

Recém saída de um relacionamento abusivo, Laurenil Vicuna pede ajuda para recomeçar a viver. Ela tem filhas gêmeas e está abrigada na casa de uma conhecida. Toda doação é bem vinda, assim como um emprego.


Leia também -Perfil expõe detalhes íntimos de homens e caso acaba na polícia

 

A mulher procurou o dizendo que estava desesperada, pois não tem emprego e precisa sustentar as filhas de 5 anos. Conta que ficou casada com o antigo companheiro, que não é pai das crianças, por cerca de 4 anos, mas decidiu sair de casa por não suportar mais situação.


“Não quero voltar para aquela prisão. Eu não podia trabalhar, sair, conversar com ninguém”, relatou.


De acordo com o relato de Laurenil, ela se separou há cerca de duas semanas e saiu de casa com as meninas. Pegou algumas poucas roupas e foi para o terminal e ônibus, em Várzea Grande. Sem rumo, contou sua história para uma mulher que trabalha no local. Essa trabalhadora levou a família para sua casa e é lá que todos estão até o momento.


A mulher entende que os 3 novos integrantes pesam para a colega e decidiu sair de lá. Ela já tem uma casa de 3 cômodos em vista para alugar, no mesmo bairro que a nova amiga. Essa semana, deve receber o auxílio emergencial de R$ 600 e pagar a locação.


Embora tenha conseguido a ajuda, ela ainda precisa de roupas, móveis, alimentos e um emprego. Antes de se casas com o ex, ela já trabalhou como auxiliar de cozinha e serviços gerais.


“Qualquer emprego serve. O que eu preciso é trabalhar para sustentar minhas filhas”, apela.


Quem puder ajuda a família, deve entrar em contato pelo telefone (65) 9 92761810.

 

Esta matéria foi produzida por meio de sugestão de um internauta. Você também pode participar, enviando o pedido ao WhatsApp do Gazeta Digital. Para enviar sugestões, fotos e vídeos o número é (65) 9 9987-2065. Ou no in box do Facebook.

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Suely - 17/06/2020

Tem alguma pessoas que deviam nem comentar nada, pq só sabe criticar se ela ta pedindo ajudar quem poder ajuda é bom mais quem ñ pode ñ abrar a boca para críticas idiotas, concerteza se ela conseguir um emprego ela da um jeito de deixar as crianças com alguém para trabalhar e da o sustento de suas filhas, ñ é ficar de braços cruzados precisando das coisas e vendo as crianças passar necessidade ñ, e quanto ao pai isso ñ vem o caso, quem quer ajudar ajuda e ponto..

1 comentários

1 de 1

Enquete

Após a reabertura dos shoppings, você voltou a frequentar como antes da pandemia?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 07/08/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,60 -1,01%

Algodão R$ 121,69 0,52%

Boi a Vista R$ 136,80 -0,87%

Soja Disponível R$ 69,20 -1,56%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.