Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 16/07/2020

Mundo - A | + A

risco 10.01.2020 | 12h01

Cerca de 250 mil pessoas precisam deixar suas casas na Austrália

Facebook Print google plus

AAP Image/Shane Chalker via Reuters

AAP Image/Shane Chalker via Reuters

A Austrália exortou quase 250 mil pessoas a abandonarem suas casas nesta sexta-feira (10) e preparou apoio militar, uma vez que as autoridades disseram que as próximas horas podem ser "muito, muito desafiadoras", mesmo com chuva em algumas partes do país.

 

Agentes de defesa estão de prontidão para avançar sobre terrenos em chamas se as condições se tornarem extremas, disse o primeiro-ministro, Scott Morrison, a repórteres, tendo em conta que as temperaturas em elevação e os ventos criam circunstâncias perigosas.

 

Leia também - Ano de 2019 foi o segundo mais quente do mundo

 

"Mesmo com chuva em Melbourne, mesmo com a previsão de condições melhores na semana que vem, ainda há muito pela frente neste que está sendo um evento de incêndio inédito... e, é claro, sabemos que ainda temos muitas semanas da temporada de incêndios", disse Daniel Andrews, o premiê do Estado de Vitória, em um briefing televisionado.

As próximas horas serão "muito, muito desafiadoras".

 

Embora a previsão diga que os ventos devem se desviar até a manhã de sábado, Andrews exortou os moradores a se manterem em estado de alerta e deixarem a comunidade "se forem orientados a fazê-lo".

 

As autoridades enviaram mensagens de texto de emergência a 240 mil pessoas em Vitória instruindo-as a partir. Pessoas em regiões de risco alto de Nova Gales do Sul e Austrália do Sul também foram exortadas a pensar em sair, mas as autoridades não disseram quantas.


Desde outubro, 27 pessoas morreram e milhares foram sujeitadas a retiradas recorrentes. As chamas imprevisíveis já consumiram mais de 10,3 milhões de hectares de terras.

 

Na cidade litorânea de Eden, em Nova Gales do Sul, onde a situação de alerta foi alterada para "observar e agir" na manhã desta sexta-feira, a fumaça preenchia o horizonte enquanto os ventos sopravam fumaça e cinzas.

 

Shereen e Kim Green, que vivem em uma fazenda com três casas e 50 cabeças de gado nos arredores de Eden, se apressavam para encher dois tanques de água de mil litros.

 

"Isso é para apagar os focos de incêndio, e passaremos a noite de pé para defender nossa propriedade", disse Shereen enquanto o vento sacudia sua SUV. "Estamos aproveitando a oportunidade enquanto podemos".

 

Sentado sob a torre do relógio da cidade, o morador Robyn Malcolm disse: "Se tudo der errado, vamos correr para o cais e entrar em um rebocador".

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Você acredita na eficácia das barreiras sanitárias implantadas em Cuiabá?

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 16/07/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,95 0,53%

Algodão R$ 91,78 0,12%

Boi a Vista R$ 134,00 0,00%

Soja Disponível R$ 65,90 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.