Publicidade

Cuiabá, Sábado 08/08/2020

Mundo - A | + A

berço da pandemia 24.04.2020 | 09h07

China é criticada por exportar testes da Covid-19 e equipamentos com defeitos

Facebook Print google plus

Agência Brasil

Agência Brasil

Berço da pandemia do novo coronavírus, a China voltou a ser alvo de críticas e reclamações de outros países por enviar testes para a doença considerados não confiáveis e por cobrar um valor exorbitante pelo envio de equipamentos essenciais no combate do covid-19.

 

Uma das formas de controlar a doença é com testes em massa, para identificar os doentes e rastrear seus movimentos para ter certeza de quem mais pode ter sido infectado. Porém, nem todos os países conseguiram desenvolver testes rápidos no mesmo ritmo que a doença se espalhou e precisaram comprar os kits de Pequim.

 

Leia também - Isolamento social por novo coronavírus no Reino Unido deve durar até o fim do ano

 

A principal reclamação dos testes é que eles não chegam no padrão médico necessário para dar um diagnóstico correto e confiável.

 

Espanha pede reembolso da China

 

A Espanha, segundo país com o maior número de casos, cancelou o pedido de 640 mil testes depois que outros testes comprados apresentaram defeitos. O país tinha feito um pedido avaliado em 467 milhões de dólares, cerca de R$ 2,5 bilhões, por 5 milhões de testes, ventiladores, máscaras e luvas.


Quando o pedido chegou, cerca de 9 mil testes estavam com defeito e precisaram ser devolvidos. Com a demora da China em recolher os kits defeituosos, a Espanha passou a pedir um reembolso.

 

Na República Tcheca, cerca de 80% dos 150 mil testes comprados apresentaram algum tipo de defeito e davam um resultado menos acurado que outros testes e o governo voltou a depender dos testes em laboratório.

 

Máscaras sem qualidade
Não são só os testes que deram problemas. Na Holanda, as máscaras compradas dos chineses não cobrem todo o rosto e outras tinham defeito no filtro. Eles também tiveram que devolver os produtos quebrados por não atenderem o padrão médico indicado.

 

A pandemia fez com que a demanda por equipamentos médicos subisse em diversos países e muitos estão sem equipamento suficiente para combater o vírus. Para evitar a escassez dos materiais, 80 países decidiram limitar as exportações de máscaras e luvas, segundo a OMC.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

ROSINO BOMFIM - 24/04/2020

Alguma coisa da china presta ??????

1 comentários

1 de 1

Enquete

Após a reabertura dos shoppings, você voltou a frequentar como antes da pandemia?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 07/08/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,40 0,52%

Algodão R$ 98,15 0,17%

Boi a Vista R$ 135,50 0,00%

Soja Disponível R$ 65,90 -0,30%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.