Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 17/09/2019

Mundo - A | + A

enchentes nas ilhas 03.09.2019 | 14h42

EUA ordenam que 1 milhão de pessoas deixem suas casas

Facebook Print google plus

Mark Hall/ Christopher Hall

Mark Hall/ Christopher Hall

O furacão Dorian, um dos mais poderosos já registrados no Oceano Atlântico, apresentou sinais de enfraquecimento nesta terça-feira (3), após castigar as Bahamas, provocando devastação e enchentes nas ilhas de Abaco e Grande Bahama. A água atingiu o segundo andar de alguns edifícios e deixou pessoas ilhadas.

 

A expectativa é que o Dorian avance para o litoral dos Estados Unidos, onde as autoridades ordenaram que mais de um milhão de pessoas deixem suas casas.

 

Nas Bahamas, autoridades locais afirmam que ao menos cinco pessoas morreram e 21 feridos foram transportados para a capital por helicópteros da Guarda Costeira dos Estados Unidos.

 

"Estamos em meio a uma tragédia histórica", afirmou o primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, ressaltando que o país sofreu uma "devastação extensa e sem precedentes". "Nossa missão agora é nos concentrarmos nas buscas, resgates e recuperação", afirmou.

 

Fortes chuvas continuam a castigar as ilhas no noroeste das Bahamas. Na manhã desta terça-feira, os ventos diminuíram de velocidade, chegando a 193 quilômetros por hora, rebaixando o furacão para a categoria 3 na escala Saffir-Simpson, que vai de 1 a 5.

 

Segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC), baseado em Miami, a velocidade dos ventos mais alta registrada após a chegada do Dorian foi de 215 quilômetros por hora. 

 

O centro do furacão chegou a 40 quilômetros de Freeport, na ilha Grande Bahama, onde os ventos chegaram a 75 quilômetros por hora. Em todo o país, cerca de 13 mil casas foram destruídas ou gravemente danificadas, segundo estimativas da Cruz Vermelha.

 

Furação Dorian nas Bahamas 

O furacão Dorian deixou cerca de 13 mil casas destruídas ou gravemente danificadas nas Bahamas e deve seguir para o noroeste no final desta terça-feira e atingir o litoral dos estados americanos da Flórida, Carolina do Sul e Geórgia. Apesar das expectativas de que o Dorian permaneça sobre o mar, as autoridades mantêm os alertas para a região, uma vez que não estará muito longe da costa e pode ainda se deslocar para o continente.

 

Nove condados da Flórida lançaram ordens de evacuação. Na costa leste do estado, alguns postos de gasolina e aeroportos estão fechados, assim como o de Orlando, o maior da região. O Walt Disney World Resort, na mesma cidade, permanecerá fechado nesta terça-feira.

 

Na Carolina do Sul, mas de 830 mil pessoas em oito condados receberam ordens de evacuação. No estado da Geórgia, moradores de seis condados devem deixar suas casas.

 

O furacão Dorian se igualou a outros como o Gilbert, de 1988, o Wilma, de 2005 e o furacão do Dia do Trabalho, de 1935, como o segundo mais poderoso já registrado no Atlântico. O Allen, de 1980, com ventos de 306 quilômetros por hora, foi o mais forte da história, segundo o NHC.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Quem é o principal culpado pelas queimadas?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 17/09/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22,00 0,69%

Algodão R$ 93,57 0,71%

Boi a Vista R$ 130,56 0,00%

Soja Disponível R$ 68,50 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.