Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 29/05/2020

Mundo - A | + A

papel desempenhado na pandemia 19.05.2020 | 09h12

Organização Mundial da Saúde realiza 73º assembleia geral para investigar a China

Facebook Print google plus

Mark RALSTON/AFP

Mark RALSTON/AFP

A OMS (Organização Mundial da Saúde) abriu sua 73ª Assembleia Geral na manhã desta segunda-feira (18) marcada definitivamente pela pandemia de covid-19. O impacto do novo coronavírus vai muito além do formato da assembleia, que será basicamente realizada via teleconferência, e deve determinar o tom político da reunião.

 

Cem países assinaram uma carta dirigida à OMS solicitando uma investigação independente das origens da pandemia. Originalmente proposto pelo governo da Austrália, o texto citava especificamente o papel desempenhado pela China no início do surto em Wuhan.

 

Leia também - Vizinhos do Brasil reforçam pedido da OMS para combate ao novo coronavírus

 

A carta foi ganhando contornos mais suaves à medida que foi recebendo apoios - um dos mais supreendentes foi o da Rússia, tradicional aliada chinesa. O texto que deve ser considerado na assembleia pede a investigação "imparcial, independente e abrangente" da resposta da OMS à covid-19.

 

Resposta diplomáticas a críticas contra OMS
Na abertura da Assembleia Geral, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, manteve seu tom diplomático, embora se possa ler nas entrelinhas do breve discurso alguns dos temas políticos que marcam estes meses de mundo em alerta por conta da pandemia. Entre eles, além das acusações à China, também os ataques à própria OMS.

 

"Todos temos lições a aprender com a pandemia. Todos os países e as organizações devem examinar sua resposta e aprender com sua experiência. A OMS está comprometida com a transparência, a prestação de contas e a melhoria contínua", disse o diretor-geral.

 

A organização tem sido questionada por grupos políticos e governos, com os Estados Unidos à frente, em seu papel de guia médico e científico durante a pandemia. Os EUA cortaram, inclusive, o financiamento à instituição.

 

"A pandemia de covid-19 testou os laços entre a humanidade", disse Adhanom, acrescentando que a propagação do novo coronavírus deve servir para se refletir sobre "que tipo de mundo queremos e que tipo de OMS queremos".

 

"Mais do que nunca precisamos de um mundo saudável, um mundo mais seguro e mais justo. Mais do que nunca, precisamos de uma OMS mais forte", concluiu o diretor-geral.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

A constante troca de ministros pelo presidente Jair Bolsonaro compromete a sua gestão?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 29/05/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,95 0,50%

Algodão R$ 91,62 -0,13%

Boi a Vista R$ 134,63 0,34%

Soja Disponível R$ 66,00 -2,22%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.