Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 18/02/2020

Polícia - A | + A

MAIS DE 10 CASOS EM 2020 19.01.2020 | 14h10

Aumentam as vítimas que denunciam estupros sofridos em MT

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

Em 10 dias de janeiro, mais de 10 ocorrências de estupro já foram registradas pelas forças da Segurança Pública de Mato Grosso. Com O número crescente de denúncias, a defensora pública e membro do Conselho Estadual da Mulher, Rosana Leita, aponta que as vítimas e as famílias estão acreditando mais no Poder Público.

 

“Isso é, acreditando nas ações de combate, de conscientização e de punição também. Não é que os números estão aumentando, são os mesmos casos, mas que estão ganhando notoriedade. Como mulher e defensora, esperamos que o número dos crimes continue diminuindo”. 

 

Leia também - Mulher é perseguida e sofre tentativa de estupro em Cuiabá

 

Levantamento divulgado em 2019 apontou que dados coletados em 2018 colocou Mato Grosso como o 2º estado brasileiro com maior número de estupros com total de 3,4 mil casos, ficando atrás apenas de São Paulo com 5,2 mil casos.

 

“As vítimas estão buscando denunciar e receber o acolhimento. Há confiança ainda no trabalho que vem sendo realizado, como o que é feito no Hospital Júlio Müller, e também por servidores do Instituto Médico Legal (IML) e do Conselho Estadual também”.

 

Agressor está por perto

Conforme a defensora, a violência de gênero acontece mais de uma vez, na maioria dos casos, já que o agressor entende que ele não vai ser preso. “Mas, há um obstáculo na frente agora, que é o poder público”.

 

A maioria dos casos acontecem dentro de casa, seja de violência física, sexual, verbal e/ou psicológica. “Vem de onde deveria ter proteção. Essas vítimas precisam entender que esse tipo de cultura mudou, tem que denunciar e buscar direitos e garantias”.

 

Casos

Em um dos casos, registrado no dia 2 de janeiro em Cuiabá, uma menor de 14 anos foi estuprada pelo cunhado enquanto. O pai da vítima foi quem flagrou o ato e acionou os policiais. O homem de 25 anos foi preso em flagrante. Afirmava à vítima que era membro de facção criminosa, inibindo as denúncias.

 

Na festa de Ano Novo, em Várzea Grande, menina de 13 anos denunciou ter sido vítima de estupro coletivo. Ela consumiu álcool, dormiu e quando acordou, encontrou a calcinha rasgada e ainda estava com dores no órgão genital e hematomas nas pernas.

 

Em Porto Esperidião (326 km a oeste de Cuiabá), mulher foi estuprada após beber um caldo de cana batizado. Ela foi dormir e acordou com o suspeito, que é marido da sua prima, praticando sexo oral nela.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Como você aproveita os dias de Carnaval?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 18/02/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 17,10 0,88%

Algodão R$ 91,14 -0,31%

Boi a Vista R$ 133,50 0,38%

Soja Disponível R$ 65,85 0,23%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.