Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 26/05/2020

Polícia - A | + A

'FUI LESADO' 20.05.2020 | 19h29

Madeireiro diz que sacaram dinheiro do auxílio emergencial por ele

Facebook Print google plus

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Após registrar um boletim de ocorrência na última terça-feira (19) em Tabaporã (643 km a Médio-Norte de Cuiabá), o madeireiro Adonias Correia Santana relata que foi vítima de estelionato. Alguém teve acesso aos seus dados e sacou o auxílio emergencial em seu nome.


Em contato com o , o homem relata que registrou o boletim de ocorrência (BO) para denunciar que recebeu o auxílio por engano. No registro policial, ele narra que se deparou com uma mensagem SMS, dizendo que seu “auxílio emergencial estava aprovado”.


“Registrei o BO, porque entraram no meu cadastro e conseguiram. Costumo dizer que ‘urubu quando está de azar, o de baixo caga no de cima’. Tem um monte de gente passando fome, necessitando desse dinheiro e não consegue os R$ 600 do governo. A pessoa entrou lá, falsificou tudo e conseguiu pegar os R$ 600, e amanhã vai pegar mais, porque tem outra parcela”, comenta.

 

Leia também - Madeireiro que agrediu pedinte recebe auxílio emergencial


Ainda conforme Adonias, ele não consegue cancelar o benefício, e para descobrir quem usou seus dados, foi direto para a polícia. Ele também foi até uma agência da Caixa Econômica Federal de Sinop (500 km de Cuiabá), onde foi orientado por um funcionário que deveria ligar no 121, o telefone do Ministério da Cidadania.


“Pediu para que eu ligasse nesse número. Eu ligo, por telefone de linha, não pode ser celular, eu ligo e não dá ligação, nem completa a ligação. Eu fui lesado e prejudicado”, lamenta.


Adonias esclarece que não consegue solucionar o problema. Seus dados vazaram após ter aparecido em um vídeo que repercutiu nacionalmente, segundo descreveu no boletim.


“Não fiz isso, eu sou contra. Jamais pegaria um dinheiro desses, porque eu sei quanta necessidade tem as pessoas passando fome, eu não tenho necessidade disso. Agora, como que a pessoa vai entrar nos meus dados, cadastrar, pegar o dinheiro e eu não consigo descobrir quem foi”.

 

 

 

 

O caso

O madeireiro ficou conhecido em todo o país após uma situação de violência registra em Sinop.


O jovem de situação de rua, 25 anos, estava com um cartaz com a frase "estou com fome, você pode me ajudar", no cruzamento de duas avenidas da cidade no momento em que foi abordado pelo suspeito, que estava no banco do carona de uma caminhonete Hilux, em abril.


No vídeo, o homem aparece oferecendo R$ 20 ao rapaz e em seguida, pergunta se a situação está dificil. A vítima acredita que se tratava de uma boa ação, percebe que estava sendo gravado e o homem oferece mais dinheiro. Quando ele se aproxima do carro, recebe um tapa na cara. "Vai trabalhar, rapaz", diz Adonias.

 

O madereiro argumenta que já foi vítima de um crime praticado pelo morador de rua.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

A constante troca de ministros pelo presidente Jair Bolsonaro compromete a sua gestão?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 26/05/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,35 1,24%

Algodão R$ 96,29 -0,97%

Boi a Vista R$ 134,63 0,34%

Soja Disponível R$ 67,00 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.