Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 01/12/2020

Polícia - A | + A

TIRO NA PERNA 03.10.2020 | 20h58

Sargento da PM que matou jovem em Chapada é preso pela Polícia Civil

Facebook Print google plus
Silvana Ribas e Yuri Ramires

redacao@gazetadigital.com.br

Reprodução

Reprodução

Justiça acatou o pedido da Polícia Civil de Chapada dos Guimarães (67 km ao Sul de Cuiabá) e determinou a prisão preventiva do sargento da Polícia Militar Claudio Wagno de Oliveira, 39. Ele é o autor do tiro que matou Jhonatan da Silva Rosário, 23, na madrugada de quinta-feira (1), na região central da cidade. Para o delegado Hércules Batista Gonçalves, o jovem foi baleado sem nenhuma necessidade.


Conforme apurado pelo , o mandado de prisão foi cumprido na tarde deste sábado (3), no bairro Quilombo, em Cuiabá. Claudio passou por exames no Instituto Médico Legal (IML) e, em seguida, encaminhado para um batalhão da PM, onde cumprirá a preventiva.

 

Consta no documento assinado pelo delegado Hércules que no dia do homicídio, a equipe da PM de Chapada não acionou a Polícia Civil logo após o ocorrido e que só ficaram sabendo da morte do jovem após serem comunicados pelos socorridas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e que "a própria Polícia Militar acionou a Politec, a revelia da Polícia Civil".

 

Por isso, foi instaurado um inquérito para investigar a morte de Jhonatan. Os militares foram ouvidos e perícia realizada no local do crime no corpo do jovem, que foi encaminhado ao IML. Porém, a arma de fogo do sargento não foi entregue aos investigadores, já que segundo ele "a investigação caberia à PM".

 

O delegado afirmou que oficializou o comando da PM para que a arma seja apresentada para instruir a investigação. Outro fato que fundamentou o pedido de prisão foi a divulgação das imagens das câmeras de segurança, que mostraram o momento em que Jhonatam foi baleado.


"Ao examinarmos as imagens, verificou-se que a versão de legítima defesa dos policiais não encontra respaldo jurídico", afirmou o delegado, dizendo ainda que "imagens falam mais do que mil palavras" e que, por isso, demonstram os indícios de autoria e materialidade de crime de homicídio.


"Restou evidente que os policiais não seguiram um padrão aceitável de abordagem, pois a vítima não portava arma de fogo. Portanto, a ordem pública encontra-se abalada, em face da gravidade concreta do crime, aliados aos indícios suficientes de autoria e materialidade, dando-se resposta imediata que a sociedade espera das autoridades", finalizou.

 

“Fazendo algazarras”  

Consta no boletim de ocorrência registrado pelos policiais que Jhonatan estava em sua motocicleta, pilotando em alta velocidade e fazendo algazarras. “Foi emanado ordem de parada, porém o condutor não acatou, lançando o veículo em direção dos policiais, momento em que se fez necessário o emprego dos meios disponíveis, sendo então efetuado um disparo”, diz trecho do documento.  

 

Mas, no vídeo divulgado nas redes sociais, mostra os policiais ao lado da viatura, já no acostamento da praça. Momentos depois, o rapaz aparece descendo a rua Cipriano Curvo em sua motocicleta, quando os miliares ‘pulam’ na frente, tentando pará-lo, o que não acontece.  

 

O rapaz segue na moto e um dos policiais chega a chutar a lateral do veículo e, em seguida, o outro atira contra ele. Vale ressaltar que, durante a abordagem, os policiais já estavam com armas em punho. Jhonatan chegou a pilotar por mais uns metros e acabou caindo. Ele foi socorrido, mas não resistiu e morreu.  

 

O jovem não tinha passagens criminais. Ele não tinha habilitação para pilotar moto. Em vídeo, a avô do rapaz pediu por Justiça. “Eu quero Justiça. Não tinha uma passagem pela polícia, eu quero Justiça mesmo, ele não merece entregar a vida desse jeito”, falou.

 

Polícia Militar afastou os dois militares das atividades nas ruas e instaurou um inquérito para investigar a conduta deles na ação. 

 

Vídeo

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Com o resultado da eleição, você acredita em uma Cuiabá melhor a partir de 2021

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 01/12/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 61,00 -0,81%

Algodão R$ 127,44 0,81%

Boi à vista R$ 254,60 0,64%

Soja Disponível R$ 154,00 -3,75%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.