Publicidade

Cuiabá, Segunda-feira 30/03/2020

Política de MT - A | + A

nova alíquota 18.12.2019 | 15h40

AL adia votação da Previdência para 2020

Facebook Print google plus

JL Siqueira/ALMT

JL Siqueira/ALMT

Em sua última sessão de 2019, a Assembleia Legislativa (AL) aprovou dispensa de pauta do projeto de lei complementar (PLC) que pretende elevar para 14% a contribuição previdenciária dos servidores públicos de Mato Grosso. Com isso, a votação do projeto deverá ser realizada em janeiro.  

 

O requerimento para dispensa de pauta foi apresentado pelo líder do governo, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), e obteve 15 votos favoráveis  e 8 contrários.   

 

Com isso, o aumento da alíquota previdenciária e a cobrança de inativos a partir de um salário mínimo deverá ser votada em até 5 dias corridos a partir de 7 de janeiro, quando os parlamentares voltam do recesso iniciado nesta quarta-feira (18).   

 

Leia também - Galindo teria recebido R$ 40 mi para ceder licitação à CAB

 

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) liderou a oposição para que o requerimento não fosse aprovado sob alegação de que a discussão será prejudicada, já que deveria se constituir uma Comissão Especial para analisar a matéria por se tratar de um PLC que muda a Constituição do Estado.   

 

Lúdio ainda acusou a pressa em se votar o aumento da contribuição previdenciária sob argumento de que o interesse do governo seria "fazer caixa" para o próximo ano.

 

"Isso é mais uma maldade do governador Mauro Mendes. Ano que vem é ano eleitoral e ele quer fazer caixa para investir nos municípios e ajudar os seus candidatos. Porque se ele estivesse interessado em diminuir o déficit previdenciário, ele teria instituído o Fundo da Previdência. Agora esse recurso cairá com os demais e ninguém saberá onde ele será investido", disse Lúdio da Tribuna.   

 

O petista foi acompanhado dos deputados Valdir Barranco (PT), João Batista (Pros) e Elizeu Nascimento (DC). Já o deputado estadual Wilson Santos (PSDB), que faz oposição ao governo Mendes, defendeu a dispensa de pauta, alegando que é a favor da reforma da Previdência.   

 

Contas de Taques   

As contas do ex-governador Pedro Taques (PSDB) referentes a 2018 também ficaram para 2020. Isso porque um pedido de vista de Barranco impediu que fosse votada nesta quarta-feira (18).  O parecer da Comissão de Fiscalização, Acompanhamento e Execução Orçamentária (CFAEO) é pela reprovação das contas.

 

Os tucanos Wilson Santos e Carlos Avalone subiram na tribuna para defender a aprovação das contas, alegando que o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE) levou em consideração a crise fiscal nacional que teria prejudicado a gestão tucana.  

 

Ambos foram secretários de Taques, assim como o deputado Max Russi (PSB), que também pediu a aprovação das contas. 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Levando em consideração as condições sanitárias do país, você optaria por:

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 30/03/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,00 0,50%

Algodão R$ 93,74 0,04%

Boi a Vista R$ 136,67 -0,02%

Soja Disponível R$ 66,20 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.