Publicidade

Cuiabá, Quarta-feira 02/12/2020

Política de MT - A | + A

justiça eleitoral 28.10.2020 | 15h03

Candidatos a prefeito de Sorriso já gastaram R$ 758 mil em campanha

Facebook Print google plus

Montagem

Montagem

Os candidatos à Prefeitura de Sorriso (420 km ao norte de Cuiabá) começam a atualizar a prestação de contas no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Somados, os três concorrentes já arrecadaram para suas campanhas o valor de R$ 178,9 mil e gastaram R$ 758,04 mil. O limite legal de gastos é orçado em R$ 831.878,13.


O deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC) é o candidato que mais detém de recursos para sua campanha. Ao todo, ele declarou R$ 114,8 mil, vindo de 9 doadores.


Paulo Cezar Lucion é a pessoa física que mais contribuiu com a campanha de Dal Molin, doando o equivalente a R$ 50 mil, ou seja, 43,55%. Em seguida, o próprio deputado tirou do seu bolso para a campanha, pagando R$ 40 mil, ou 34,64%.

 

Leia também - Propaganda em VG mostra duas cidades totalmente opostas


Nas despesas, o candidato do PSC já gastou R$ 339,728 mil – contabilizando 90 prestadores de serviços, entre supermercado, embalagens e posto de gasolina. A Onze Conteúdo Audiovisual, responsável pela produção de programas de rádio, televisão e vídeo, recebeu R$ 73 mil do deputado, praticamente 21% das despesas.


Por sua vez, Ari Lafin (PSDB) declarou R$ 64,1 mil de receita. Seu maior doador é Nodimar Correa, que contribuiu com R$ 19 mil, assim como Daniel Henrique de Melo Santos, que também doou o mesmo valor. Juntos, os dois representam 29,64% das doações.


Apesar de receber menos, o tucano gastou mais do que Xuxu Dal Molin. Ele declarou como despesas o equivalente a R$ 418,312 mil. A Bramane Serviços de Comunicação LTDA é a responsável por receber do candidato R$ 150 mil. A empresa presta serviço em produção de programas de rádio, televisão e vídeo.


Já Júnior César Leite da Silva, o Júnior Pé do Chão (PCdoB), teve sua candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral, no dia 19 de outubro. Pé no Chão está em débito com a Justiça, por não ter declarado conta na eleição de 2016.

 

Multado em R$ 2.090, o candidato tenta recorrer da decisão. Ele não tinha declarado receitas ou despesas antes da ação, que o tirou da disputa.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Com o resultado da eleição, você acredita em uma Cuiabá melhor a partir de 2021

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 02/12/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 60,50 -0,82%

Algodão R$ 127,85 0,33%

Boi à vista R$ 254,60 0,64%

Soja Disponível R$ 154,50 0,32%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.