Publicidade

Cuiabá, Segunda-feira 21/09/2020

Política de MT - A | + A

na Assembleia 29.02.2020 | 10h54

CPI da Sonegação ouve setor da mineração na segunda

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga indícios de sonegação de impostos e renúncias fiscais indevidas em Mato Grosso retoma suas atividades na quarta-feira (4). A primeira reunião que abre os trabalhos de 2020 está programada para as 9h.

 

Na ocasião, será discutida uma diretriz a respeito da elaboração de um relatório a ser formulado pelo deputado estadual Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), referente ao setor de mineração. No segundo semestre de 2019, foi concluído o relatório da sub-relatoria do setor de combustíveis pelo deputado estadual Carlos Avalone (PSDB).

 

Leia também - Silval será ouvido a 'portas fechadas' em CPI na Câmara de Cuiabá

 

Uma das descobertas que veio à tona é que somente em 2018, Mato Grosso deixou de arrecadar cerca de R$ 1,9 bilhão por causa da sonegação, o que corresponde a 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual.

 

“A CPI tem feitos os trabalhos corretamente. E a maior prova disso é que o próprio governo do estado tem adotado providências e se comprometido a aperfeiçoar o combate à sonegação de impostos. Mato Grosso não pode ter a cada ano demandas crescentes em educação, saúde, segurança pública, infraestrutura e assistência social e uma sonegação de impostos ainda mais crescente que impede a entrada de dinheiro em caixa”, disse.

 

A CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal é presidida pelo deputado estadual Wilson Santos e iniciou os trabalhos no dia 12 de março de 2019. Compõem a comissão, além de Wilson Santos (PSDB), os deputados Carlos Avalone (vice-presidente), Ondanir Bortolini - o Nininho (relator), Max Russi (PSB) e Janaína Riva (MDB), estes dois últimos na condição de suplentes.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

jose a silva - 01/03/2020

Isso tudo é de interesse de pessoas do próprio governo, que aja essa sonegação! O governo, em si a pessoa jurídica faz uma coisa, mas a pessoa física, faz o contrário, pois é de interesse dele, pessoal que isso aconteça, haja visto o desmonte do estado em diversas áreas, pessoas, patrimônio e equipamentos. O atual governador atua, através de suas empresas em diversas áreas, do comércio, da industria de transformação e extrativista (principalmente mineração), onde já responde a processos! ENTÃO, COMO NÃO HAVER SONEGAÇÃO SE É DE INTERESSE DE QUEM DEVERIA FAZER O CONTRÁRIO? INTERESSES ANTAGÔNICOS! Fora outros rolos e processos a que está respondendo! MINHA VONTADE? VÊ-LO ATRÁS DAS GRADES!

1 comentários

1 de 1

Enquete

Onze candidatos disputam o Senado, você acha que o número amplia o leque de propostas ou mostra a desunião da classe política?

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 21/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 24,30 0,83%

Algodão R$ 116,68 1,07%

Boi a Vista R$ 137,25 -0,18%

Soja Disponível R$ 68,20 0,29%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.