Publicidade

Cuiabá, Sábado 08/08/2020

Política de MT - A | + A

DECISÃO JUDICIAL 24.06.2020 | 11h16

Cuiabá confirma recurso e VG estuda recorrer de lockdown

Facebook Print google plus

TJMT

TJMT

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) confirmou o ingresso de um agravo na Justiça para reverter a decisão que determinou lockdown de 15 dias em Cuiabá e Várzea Grande a partir desta quinta-feira (25). A ação será protocolada ainda nesta manhã pela Procuradoria Geral do Município (PGM). 

 

Já a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM), voltou atrás de seu posicionamento e já não descarta recorrer também da decisão. "O interesse não é o confronto com o judiciário. Queremos unir forças para encontrar a melhor solução para combater a pandemia. Mas vou avaliar a possibilidade do recurso", disse ao .

 

"Vamos cumprir a decisão amanhã normalmente, mas enfrentamos as mesmas adversidades de Cuiabá atendendo uma média de 45% até 60% de pacientes de outras cidades de Mato Grosso e de outros estados", completou.

 

Segundo Emanuel, os indicadores sanitários e epidemiológicos  mostram que a capital fez o dever de casa para combater a proliferação da covid-19. "Agimos no momento oportuno. Se não fizéssemos isso, estaríamos muito pior. E não é justo agora, depois de Cuiabá fazer o dever casa, pague o preço por quem não tomou as providências", disse o prefeito nesta quarta em entrevista ao programa Tribuna da rádio Vila Real FM.

 

Para o chefe do Poder Executivo da capital, o fechamento e isolamento coletivo apenas em Cuiabá e Várzea Grande, não resolverá o problema de lotação dos leitos de UTIs que já está em 90% de ocupação no Estado. "Penalizar Cuiabá, deixar a população cuiabana dentro de casa e abrir o Estado inteiro, que vai continuar vindo pra cá, superlotando as unidades de saúde, os leitos de UTIs, isso é dramático. É gerar uma quebradeira geral na cidade, é população perdendo emprego, a população ficará sem dinheiro", reclamou.

 

Leia também - Secretário admite erro na pandemia e defende 'kit covid'

 

"Querem lockdown, que faça no Estado inteiro e não nas duas maiores cidades, e em Cuiabá que carrega a saúde do Estado na costas", completa Pinheiro.

 

No agravo, Cuiabá anexará todos os dados técnicos, impactos sanitários e epidemiológico. "Se a justiça não aceitar, gostaria que essa decisão se estenda em todo Estado", finalizou.

 

A decisão que determinou lockdown na região metropolitana de Cuiabá foi proferida na última segunda-feira (22) pelo juiz José Leite Lindote, da Vara Especializada da Saúde Pública de Mato Grosso. Cuiabá e Várzea Grande deverão implementar barreiras sanitárias, para triagem de entrada e saída de pessoas, permitindo apenas a circulação de quem exerce atividades essenciais e manter apenas os serviços públicos essenciais, exceto salões de beleza e barbearias e academias.

 

O juiz também mandou aumentar a frota de ônibus para que trabalhadores dos servidos essenciais possam viajar sentados e evitar aglomeração, os estabelecimentos liberados não devem ter restrição de horário de funcionamento. Caso os municípios não cumpram as determinações, irão pagar multa diária de R$ 100 mil.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

parasita - 24/06/2020

secretário de saúde do estado, gilberto figueiredo é incoerente. Na sede da secretaria está executando obras de reformas com grande aglomeração e os servidores correndo grande risco de serem infectados. Só agora a secretaria está cumprindo o decreto e os servidores estão trabalhando das 7:30h às 13:30h, com revezamento, mas estão querendo rever isso. Quando o servidor testa positivo, simplesmente some e abafam o caso. Só depois que se fica sabendo que está com o virus. Também estão impedindo os servidores de exercerem o direito de tirarem férias ou licença,

Alaor Luiz Soccol - 24/06/2020

Será que o Sr. Prefeito não viu o que aconteceu em Coritiba?

Odenil de oliveira - 24/06/2020

O prefeito tá certo tem que fechar o estado inteiro mesmo por que só a capital .

3 comentários

1 de 1

Enquete

Após a reabertura dos shoppings, você voltou a frequentar como antes da pandemia?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 07/08/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22,20 1,37%

Algodão R$ 89,88 -0,54%

Boi a Vista R$ 140,00 0,48%

Soja Disponível R$ 66,70 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.