Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 18/09/2020

Política de MT - A | + A

O NÓ DA QUESTÃO 10.08.2020 | 11h13

DEM está dividido no apoio a 3 candidaturas ao Senado

Facebook Print google plus
Noelma Oliveira

noelma@gazetadigital.com.br

Mayke Toscano/Secom

Mayke Toscano/Secom

Maior partido de Mato Grosso em número de filiados e lideranças políticas no exercício de mandatos eletivos, o DEM enfrenta uma disputa interna no apoio a 3 candidatos à eleição extemporânea ao Senado, que será realizada no 15 de novembro. 

 

Principal líder do partido no Estado, o goverandor Mauro Mendes não esconde a preferência pelo senador Carlos Fávaro (PSD), que ocupa a vaga por decisão judicial. Ele ficou em terceiro lugar na eleição majoritária de 2018.

 

Presidente da Assembleia Legisaltiva, Eduardo Botelho, neste momento, tem uma maior simpatia ao nome do vice-governador Otaviano Pivetta (PDT).

 

Leia também - Reeleição e diretas são sugeridas no Tribunal de Justiça

 

Tradicionais figuras políticas do DEM - desde a formação original quando era PDS, depois PFL, a família Campos, hoje sob a liderança do senador Jayme Campos, já declarou apoio à pré-candidatura do ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB), que conquistou a quinta posição no pleito de 2018 ao Senado. 

 

Todos os 3 nomes já foram aprovados em convenções partidárias. Contudo, a eleição marcada para abril não ocorreu devido à pandemia do novo coronavírus. 

 

Até então, o nome do DEM à disputa era o do ex-governador Júlio Campos, que recuou de concorrer ao cargo, segundo ele, por recomentação médica. Além de transplantado, Júlio tem diabetes. 

 

Apesar do partido enfrentar este racha interno, um possível entendimento envolvendo a disputa municipal não está descartado para colocar todos os líderes novamente no mesmo palanque.

 

Uma possibilidade neste momento é Jayme Campos se licenciar do Senado, abrir a vaga para o primeiro-suplente Fábio Garcia, e, com isso, o governador em nome de uma eventual candidatura do amigo e ex-secretário poderia fechar um entendimento para garantir a união do partido no pleito municipal em Cuiabá. 

 

Esta conjectura também selava o apoio dos Campos ao nome de Fábio Garcia na disputa ao Palácio Alencastro.  

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Aroldo Nunes - 10/08/2020

Os mato-grossense tem que apoiar que defende a Prisão Segunda Instancia, CPI da Lava Toga, fim da Lei Kandir. Nenhum do agro apoia esses itens.

1 comentários

1 de 1

Enquete

Denúncias de mulheres contra agressores demoram vir à tona por conta de posição social?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 18/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,95 -0,23%

Algodão R$ 91,52 0,21%

Boi a Vista R$ 135,50 0,37%

Soja Disponível R$ 67,00 -0,74%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.