Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 13/12/2019

Política de MT - A | + A

CASO ADEVAIR CABRAL 04.11.2019 | 13h16

Emanuel sai em defesa de vereador que pode ser seu vice

Facebook Print google plus

João Vieira

João Vieira

Cotado para vice na chapa do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), em uma eventual candidatura à reeleição, o vereador Adevair Cabral (PSDB) recebeu apoio do gestor em relação as recentes acusações de assédio e possível participação em exploração sexual de adolescentes.  

 

"Eu acredito no Adevair, acredito que ele não tem nada a ver com isso e que ele vai provar. E essa senhora tem que provar o que falou. Eu dou o voto de confiança ao vereador Adevair", disse Emanuel Pinheiro nesta segunda-feira (4).     

 

Leia também -  Força-Tarefa da grampolândia solicita informações de investigação contra ex-secretário

 

Pinheiro lembrou que quem acusa é que teria que provar o que acusou, além de dizer que se tem que aguardar a apuração do Ministério Público no caso.  Segundo o prefeito, o parlamentar está muito "chocado" com a denúncia no MP e que existe uma 'condenação pública' em relação ao caso.

 

"É uma condenação antecipada que macula a imagem da pessoa, uma carreira de 15 anos de vida pública. Um carreira irretocável, sem contar o grande abalo familiar que isso traz", ponderou Pinheiro.   

 

Adevair é alvo de uma denúncia anônima que se encontra no Ministério Público sobre um suposto esquema de exploração sexual envolvendo adolescentes na Aspe (Associação dos Servidores da Prefeitura de Cuiabá). A denúncia foi protocolada 5ª Promotoria de Justiça Criminal de Várzea Grande e, logo em seguida, em agosto de 2017, foi encaminhada pelo promotor Mauro Poderoso de Souza e para a Polícia Judiciária Civil.   

 

Já na semana passada veio à tona uma outra denúncia de assédio e importunação sexual, após Adevair Cabral ter registrado um boletim de ocorrência contra o vereador Abílio Júnior (PSC), que chegou a ser procurado pela vítima para ajudá-la. Ele acusa Abílio de estar divulgando a foto que teria recebido da vítima. Abílio nega às acusações. 

 

A vítima, que era servidora da Secretaria de Saúde do município, relata que ele começou assediá-la por aplicativo de celular, chegando a marcar uma reunião para tratar do cargo dela pessoalmete. No local, o vereador teria "se masturbado" na frente da ex-servidora. Antes, ele teria enviado uma foto onde aparece apenas de "samba-canção". 

 

Diante desta situação, a enfermeira teria entrado em depressão, e, após uma licença médica, foi demitida por Gilson Guimarães, indicado político de Adevar na Secretaria de Saúde.

 

Intimidação 

De acordo com a vítima após a divulgação do caso pela imprensa, ela tem recebido ligações e mensagens de interlocutores do vereador que querem confirmar se foi ela quem passou a foto para Abílio Júnior.           

 

Segundo ela, o interlocutor questionou o fato da denúncia, já que ela teria tido um caso com o parlamentar. Porém, ela nega que teve qualquer caso com Cabral. 

 

Esclarecimento do vereador     

Com relação à suposta denúncia de assédio, o vereador Adevair Cabral (PSDB) esclarece que:      

 

- Tomou conhecimentos do fato por meio da imprensa, tendo em vista que não há qualquer tipo de representação ou denúncia contra a sua pessoa nos órgão de controle;         

 

- Afirma ainda que irá buscar se interar sobre o ocorrido para tomar as providências cabíveis;      

 

- Na tarde desta quinta-feira, dia 31, o parlamentar registrou um Boletim de Ocorrência contra o vereador Abílio Junior (PSC), uma vez que chegou ao seu conhecimento que o parlamentar estava propagando fotos íntimas suas para os demais integrantes do Parlamento Municipal;     

 

- Até então, Adevair não tinha conhecimento de qualquer tipo de denúncia contra a sua pessoa.      

  

- O registro do Boletim de Ocorrência foi uma forma de resguardar as sua privacidade e de sua família.   

 

Vereador Adevair Cabral (PSDB)

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

cidão - 04/11/2019

Agora eu quero ver a nossa justiça porque pobre,preto e filho de puta logo vai para cadeia e é apresentado nas midias sociais,mais como é parlamentar a coisa é diferente.

1 comentários

1 de 1

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

Enquete

Qual sua opinião sobre a propaganda partidária em rádio e TV?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 13/12/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,70 1,55%

Algodão R$ 94,98 -0,46%

Boi a Vista R$ 135,60 -0,21%

Soja Disponível R$ 64,40 -0,16%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.