Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 29/05/2020

Política de MT - A | + A

Rebateu ex-senadora 18.04.2020 | 10h20

Fávaro nega complô e diz que rito que tirou Selma teve ampla defesa

Facebook Print google plus

A Gazeta

A Gazeta

Sentado na cadeira de senador por Mato Grosso, no lugar que já foi ocupado por Selma Arruda (Podemos), o senador Carlos Fávaro (PSD) disse que a juíza aposentada teve amplo direito de defesa e negou que tenha feito complô patrocinado pelo megaempresário, Eraí Maggi, primo do ex-governador Blairo Maggi (Progressistas), como foi denunciado pela ex-senadora. 

 

"Não existe complô, não tem nada disso, eu confio na Justiça, eu estou há um ano sem dar entrevistas, eu confio na Justiça, eu confio no Brasil. Não quero ser comentarista de decisão judicial, toda a ampla defesa foi garantida no processo, cujo autor da ação foi o Ministério Público Federal, não quero ficar falando de passado", disse. 

 

Leia também - Selma revela em vídeo perseguição de Fávaro e Eraí Maggi

 

Destacou que a lei é clara e está para ser cumprida por todos. "Não existe complô! A lei está aí pra mim, pra você e pra todos os brasileiros, cada um cuide dos seus atos e de suas responsabilidades", destacou.

 

O senador disse que não cabe a ele ficar analisando ou comentando decisão judicial. "eu não vou ficar olhando pro passado e nem debatendo decisão judicial, não cabe a mim ficar justificando decisão judicial", finalizou sobre o assunto.      

 

Entenda o caso

 

A ex-senadora Selma Arruda (Podemos) divulgou um vídeo em suas redes sociais na sexta-feira (17) em que se coloca como vítima e perseguida por setores da política e empresários do estado.

 

 

Selma também disparou contra o agora senador Carlos Fávaro (PSD). Segunda ela, Fávaro fez de tudo para tira-lá do poder e que conseguiu graças ao apoio que recebeu do megaempresário Eraí Maggi, primo do ex-governador Blairo Maggi (Progressistas).

 

"Hoje eu estou aqui lamentando muito essa situação que Mato Grosso vive, hoje tomou posse no Senado Federal o Carlos Fávaro que não foi eleito pelo povo e que se ultilizou de muitos subterfúgios ilícitos para chegar até onde chegou", disse.

 

Cassação

Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou o mandato de Selma Arruda por caixa 2 e abuso de poder econômico durante a campanha para o Senado em 2018. A condenação foi mantida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

Veja vídeo em que a ex-senadora faz uma série de acusações

Vídeo

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

A constante troca de ministros pelo presidente Jair Bolsonaro compromete a sua gestão?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 29/05/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,50 -0,51%

Algodão R$ 91,22 -0,77%

Boi a Vista R$ 135,67 0,25%

Soja Disponível R$ 64,80 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.