Publicidade

Cuiabá, Sábado 31/10/2020

Política de MT - A | + A

parado desde 2014 31.08.2020 | 10h44

Governo volta a discutir futuro do VLT ainda em 2020

Facebook Print google plus
Thalyta Amaral e Pablo Rodrigo

redacao@gazetadigital.com.br

Chico Ferreira

Chico Ferreira

O Executivo estadual voltará a discutir o futuro do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) ainda em 2020. Segundo o governador Mauro Mendes (DEM), o objetivo é apresentar em breve uma conclusão sobre os estudos técnicos sobre a viabilidade de se retomar as obras do modal. Na sexta-feira (28), ele se desculpou novamente por não ter dado uma resposta sobre o VLT ainda em 2019 e reafirmou que a pandemia da covid-19 atrapalhou a conclusão dos estudos sobre a viabilidade da conclusão das obras.

 

As obras do VLT, modal que modernizaria a mobilidade urbana na Grande Cuiabá, começaram em 2012, mas pararam em 2014 e desde então os trilhos se deterioram. O projeto previa 22 quilômetros divididos em dois trajetos, com orçamento inicial de R$ 1,4 bilhão.

 

Leia também - Em Brasília, Mauro cobra pautas para avançar em logística

 

Quando assumiu o governo, Mauro Mendes prometeu uma resposta sobre o VLT em um ano e o prazo vem se alongando desde então. “Eu pedi desculpa por não ter definido isso no primeiro ano, porque a gente tinha essa intenção. No ano passado mudou 3 vezes o secretário nacional de Mobilidade Urbana do governo federal. Foi um problema naquele momento”.

 

Ele também alegou questões burocráticas que impediram a conclusão dos trabalhos no primeiro ano de mandato. “Tivemos problemas internos no governo de Mato Grosso, contratando atualização de relatório, novo estudo de origem e destino, porque nós fazemos a coisa com muita precisão, acima de tudo, tecnicamente falando”.

 

Com a volta dos trabalhos após a queda dos casos da covid-19 no estado, o governador acredita que em breve poderá tomar uma decisão sobre o VLT. “E nós vamos agora voltar, para que nas próximas semanas, próximos meses, nós temos todos os elementos, técnicos, financeiros, para que nós possamos tomar uma decisão que preserve o interesse público da maioria dos mato-grossenses”.

 

Nessa retomada das discussões, o Estado tem negociado junto à União, na busca de apoio técnico e também para possíveis parcerias em caso de finalização das obras. “Nós estamos dialogando com o governo federal, eles fazem parte do problema e farão parte da solução. Nada está confirmado e nem descartado”.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Robson Benedito - 31/08/2020

Chama o nosso ministro Tarcísio. O governo federal está concluindo muitas obras como essa: que não foram feitas para serem terminadas e sim para ajudar enriquecer políticos corruptos.

Francisco Garcia - 31/08/2020

Prometer e não cumprir...Qual a novidade?? Quando se aproxima as eleições, todos respondem as perguntas e justificam o pq Ñ fizeram oq prometeram, aliás...Concluir o VLT era a principal promessa desse Governador em campanha....Blá, blá, blá...Espero que o mato grossense tenha memória longa.

2 comentários

1 de 1

Enquete

Com abertura do comércio, bares, igrejas e retomada de festas, você já retomou à rotina?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 30/10/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 63,20 1,61%

Algodão R$ 129,33 -0,69%

Boi à vista R$ 247,18 0,00%

Soja Disponível R$ 167,25 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.