Publicidade

Cuiabá, Sábado 08/08/2020

Política de MT - A | + A

Estressou a cidade 03.07.2020 | 16h45

Mauro diz que Cuiabá errou ao fechar comércio em março

Facebook Print google plus

Christiano Antonucci/Secom

Christiano Antonucci/Secom

O governador Mauro Mendes (DEM) voltou a afirmar que Cuiabá errou ao propor medidas de distanciamento social no mês de março para conter o avanço do novo coronavírus. Na ocasião, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) determinou o fechamento do comércio da Capital, quando a cidade tinha o registro dos primeiros casos.

 

Na época, o governador criticou a medida adotada na cidade. Além do prefeito de Cuiabá, o governador atacou a medida de distanciamento adotada pela prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM) e o prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio (SD).

 

As afirmações foram em entrevista ao Edição das 10, da Globonews desta sexta-feira (3). O governador estava falando do aumento do número de casos em Mato Grosso e sobre a classificação de cada cidade por situação de risco que o Estado faz duas vezes por semana como forma de orientação das medidas a serem adotadas pelos prefeitos para conter o avanço do novo coronavírus. 

 

Leia também - Emanuel Pinheiro recua de rodízio de veículos e de pessoas na Capital

 

"Caso Cuiabá e Várzea Grande, o governo dizia exatamente a medida que devia ser tomada com risco muito alto e os prefeitos não tomaram. Cuiabá não tomou porque lá atrás, quando tínhamos um caso mandou fechar tudo. Estressou comércio, efeitos colaterais", destacou.

 

O governador disse que a medida de fechar o comércio local é amargo e precisa ser usada na hora certa. "Remédio amargo, necessário aplicar momento correto. O prefeito não queria tomar porque parou no momento errado, deveria parar no momento certo", disse lembrando que a Justiça determinou o fechamento porque os prefeitos de Cuiabá e Várzea Grande estavam resistindo. 

 

O governador também aproveitou para alfinetar o prefeito de Rondonópolis (212 km ao Sul), José Carlos do Pátio (SD) já que a cidade também sofre com o aumento dos casos e com a falta de leitos hospitalares. "Rondonópolis mandou fechar tudo na cidade. No momento que tinha poucos casos, causa efeito colateral", afirmou.

 

Segundo o governador, a Organização Mundial da Saúde (OMS) prega que as medidas mais restritivas se faz quando precisa evitar crescimento curva contaminação e evitar estrangulamento sistema saúde. Destacou que os prefeitos não tomaram medidas na hora correta e que a própria população "parece que não quer ou fazendo de conta não esta entendendo tamanho problema temos", afirmou em entrevista ao telejornal.  

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Após a reabertura dos shoppings, você voltou a frequentar como antes da pandemia?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 07/08/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,70 0,51%

Algodão R$ 93,57 0,71%

Boi a Vista R$ 137,00 -0,36%

Soja Disponível R$ 67,00 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.