Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 10/07/2020

Política de MT - A | + A

DEU EM A GAZETA 14.05.2020 | 11h55

Ministério Público acusa Misael de estelionato eleitoral

Facebook Print google plus
Redação de A Gazeta

redacao@gazetadigital.com.br

Divulgação

Divulgação

O Ministério Público do Estado, por meio da Promotoria Eleitoral da 51ª Zona Eleitoral de Mato Grosso, denunciou o presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão (PTB) e outras duas pessoas pela prática de falsidade ideológica eleitoral.

Conforme a denúncia, eles teriam omitido receitas e gastos relativos à campanha eleitoral de 2016. Além do então candidato, foram denunciados também o irmão dele, Oziel Oliveira Galvão, e o coordenador financeiro da campanha à

época, Rafael Leepkaln Capuzzo.

 

A Promotoria Eleitoral pede o recebimento da denúncia para condená-los pela prática do delito de prestação de declaração falsa à Justiça Eleitoral, após confirmação da existência de quase R$ 800 mil de caixa dois utilizados na campanha.

 

De acordo com a denúncia, o Ministério Público Eleitoral requisitou à Polícia Federal a instauração de um inquérito policial em setembro de 2016, para apurar possível prática de compra de votos de eleitores no bairro Ribeirão do Lipa. No decorrer das investigações, houve a necessidade de ampliar o foco para apurar também o delito do artigo 350 do Código Eleitoral, em face da ocorrência de recebimentos e pagamentos não declarados à Justiça Eleitoral quando da prestação de contas efetuada pelo candidato.

 

Ocorre que foi apreendida na residência de Oziel Oliveira Galvão, irmão do candidato, uma planilha de controle de entradas e saídas paralelas à conta oficial, demonstrando que houve a utilização de caixa dois na campanha, argumentou o MPE. A coluna de entradas possuía lançamentos que totalizavam R$ 799.538,00, enquanto os valores inseridos na coluna de

saídas totalizavam R$ 722.043,00.

 

Confrontando as informações da planilha apreendida e a prestação de contas do candidato, verificou-se que as informações eram completamente divergentes e que o que constava em uma, não aparecia em outra. Ou seja, conforme o relatório investigativo, as despesas extraoficiais da campanha por si só já superavam o teto de gastos permitidos.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

ROSINO BOMFIM - 14/05/2020

VAMOS AGUARDAR E VER SE A JUSTIÇA ELEITORAL DE MATO GROSSO VAI FAZER O MESMO QUE FIZERAM COM A SELMA ARRUDA !!! OU SE ELA PROTEGE ALGUNS TIPO ESSE.

1 comentários

1 de 1

Enquete

Governo federal está liberando R$ 1.045 do FGTS por trabalhador para movimentar a economia. O que você fará com o benefício?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 10/07/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,45 1,57%

Algodão R$ 92,34 -0,22%

Boi a Vista R$ 135,00 0,00%

Soja Disponível R$ 68,30 0,44%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.