Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 20/09/2019

Política de MT - A | + A

Calamidade financeira 17.01.2019 | 07h27

Ministro Paulo Guedes pede investigação contra Pedro Taques por estado de calamidade

Facebook Print google plus

Otmar de Oliveira

Otmar de Oliveira

O ex-governador Pedro Taques (PSDB) pode ser responsabilizado pela atual crise financeira que o estado de Mato Grosso passa. Processo de investigação foi pedido pelo ministro da Economia do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Guedes. A informação é do jornal O Globo. O Tribunal de Contas também é alvo.

 

Leia também - Mendes decreta nesta quinta estado de calamidade financeira

 

De acordo com a reportagem, Guedes teria revelado a intenção ao governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), após uma reunião em Brasília nesta quarta-feira (16). Paulo Guedes recebeu uma série de governadores que foram solicitar ajuda financeira. Na ocasião, o atual governador, Mauro Mendes (DEM), comunicou que irá protocolar na Assembleia Legislativa o decreto de calamidade financeira.

 

Ainda de acordo com a reportagem, o Governo Federal já teria a compreensão de que os novos gestores não podem ser responsabilizados e punidos por conta dos seus antecessores.   

 

O Tesouro Nacional solicitará informações dos Tribunais de Contas dos Estados (TCEs) para analisar as infrações cometidas e os possíveis alertas ignorados pelos ex-gestores, assim como possível conivência dos TCEs às gestões.   

 

O governador Mauro Mendes (DEM) vai anunciar o decreto de calamidade financeira nesta quinta-feira (17). O decreto deve durar por 180 dias. Para isso, precisará ser aprovado pela Assembleia Legislativa (ALMT).   

 

A gestão Pedro Taques já foi acusada, por exemplo, de ter utilizado recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb)  para outros fins.   

 

A “pedalada fiscal” foi comprovada na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Fundos, que analisou e responsabilizou Taques por uso indevido do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e Fundeb.  

 

No entanto, o TCE não identificou as irregularidade e julgou as contas de 2017 como regulares.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Carlos - 17/01/2019

Mas não vai investigar Silval, a assembléia legislativa, são eles que aprovaram toda essa baderna, inclusive parece que formaram comissões para soltar os pacotes de pccs, agora guenta.

Humberto Farias de Souza Furlan - 17/01/2019

Para você, servidor, que perdeu seu tempo, em sair da sua casa e ir votar em Deputado Estadual e no Digníssimo Mauro Mendes, prepare o lenço e o lombo, para aguentar surra por quatro anos.

2 comentários

1 de 1

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

Qual sua opinião sobre um possível racionamento de água nessa época de seca?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 20/09/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,65 -0,96%

Algodão R$ 92,54 0,12%

Boi a Vista R$ 135,00 0,00%

Soja Disponível R$ 65,80 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.