Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 20/09/2019

Política de MT - A | + A

Fake Delivery 19.08.2019 | 11h12

Rosa Neide entrou em contradição, diz delegado sobre Operação

Facebook Print google plus
Thalyta Amaral e Yuri Ramires

redacao@gazetadigital.com.br

PJC-MT

PJC-MT

O delegado Luiz Henrique Damasceno, que coordena a operação “Fake Delivery”, da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Administração Pública (Defaz), afirmou em entrevista coletiva nesta segunda-feira (19) que a deputada federal Rosa Neide (PT) foi ouvida e foram detectadas contradições no depoimento da parlamentar.

 

Apesar de não ser alvo da Operação, que prendeu o ex-secretário-adjunto de Administração Sistêmica da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Francisvaldo Pereira de Assunção, a deputada teve um mandado de busca e apreensão em sua casa para recolher documentos, pois ela era a secretária de Educação em 2014.

 

Leia também - Polícia cumpre mandados na casa da deputada Rosa Neide

 

Segundo o delegado, “Rosa Neide era secretária da época e é citada por algumas testemunhas como quem teria determinado compra dos materiais. Ainda é cedo para dizer que ela tenha envolvimento, mas têm contradições, ela disse que material todo estaria estocado, mas grande parte não estava estocado”.

 

O material comprado, que deveria ter sido destinado para a educação indígena, gerou um prejuízo de R$ 1,1 milhão aos cofres públicos, porém, Francisvaldo assinou na época 28 notas de recebimento de itens como lápis, borrachas e cadernos, que foram adquiridos para esse setor dentro da Seduc.

 

No entanto, de acordo com as investigações, o “coordenador indígena responsável pelas escolas indígenas não foi consultado à época para saber se era necessária a compra. Do material entregue, boa parte chegou a ter data de validade vencida por ausência de logística de material para entregar. A aquisição foi feita às pressas, no final do governo”, informou o delegado.

 

Francisvaldo foi preso na manhã de segunda-feira, na BR-364, em Diamantino (208 km a Médio-Norte), quando levava o pai de volta para Nortelândia (253 km a Médio-Norte). Ele está sendo trazido para Cuiabá e não ofereceu resistência à prisão.

 

Outro lado

A assessoria da deputada informou, por meio de nota, que ela "acompanha pela imprensa os desdobramentos da Operação Fake Delivery" e que, "embora não seja investigada", ela segue "à disposição dos órgãos de Investigação para quaisquer esclarecimentos, referentes ao período que atuou como secretária de Estado de Educação".

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

Qual sua opinião sobre um possível racionamento de água nessa época de seca?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 20/09/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,65 -0,25%

Algodão R$ 93,15 -0,30%

Boi a Vista R$ 137,50 0,12%

Soja Disponível R$ 61,80 -0,32%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.