Publicidade

Cuiabá, Segunda-feira 30/11/2020

Política de MT - A | + A

POR 15 A 8 29.09.2020 | 11h38

Vereadores arquivam pela 2ª vez pedido de afastamento de Emanuel Pinheiro

Facebook Print google plus

Assessoria/Câmara de Cuiabá

Assessoria/Câmara de Cuiabá

Mais uma vez a base do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) conseguiu arquivar, por 15 votos a 8, o pedido de cassação do mandato do gestor municipal. Na sessão realizada na manhã desta terça-feira (29), os vereadores rejeitara, o parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que aprovava o relatório da CPI do Paletó, pedindo o afastamento do prefeito  e a abertura de processo de cassação.  

 

Com isso, o caso está arquivado pelos vereadores, sem mesmo analisar o seu mérito. A votação ocorreu novamente após decisão da Justiça no início de setembro, que pediu para que o relatório fosse votado novamente. 

 

Leia também - Vereadores arquivam pela 2ª vez o pedido de afastamento de Emanuel Pinheiro

 

O resultado já era esperado, já que na primeira votação o relatório da CCJ havia sido rejeitado por 13 votos a 9. A base aliada do prefeito é maioria na Câmara e sempre negou que as imagens em que Emanuel aparece recebendo maços de dinheiro quando era deputado estadual, em 2013, fossem suficientes para que ele perdesse o mandato.  

 

Os vereadores Adevair Cabral (PTB), Orivaldo da Farmácia (PP),  Adilson da Levante (PSB), Aluízio Leite (PV), Luciana Zamproni (PTB), Drº Xavier (PTC), Juca do Guaraná (MDB), Justino Malheiros (PV), Luís Claudio (PP), Marcrean Santos (PP), Mário Nadaf (PV), Renivaldo Nascimento (PSDB) e Toninho de Souza (PSDB), Ricardo Saad (PSDB) e Vinicius Hugueney votaram contra o relatório, ou seja, para que a cassação fosse arquivada.     

 

A justificativa dos vereadores que foram contra é de que o caso ocorreu enquanto ele foi deputado e que o papel da Câmara não é investigar, além de que o caso está sendo tratado em órgãos de investigação. A base do governo também afirma que a CPI foi eleitoreira e política contra Emanuel. 

 

Abílio Júnior (PODE), Diego Guimarães (Cidadania), Felipe Wellaton (Cidadania), Lilo Pinheiro (PDT), Marcelo Bussiki (DEM), Sargento Joelson (SD), Kero Kero (Pode) e Dilemário Alencar (PODE) votaram a favor do relatório. Já a oposição lembrou do vídeo revelado na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (sem partido) e que existem provas suficientes que comprovaria a obstrução de justiça. O vereador Clebinho Borges (PDT) não estava presente na votação e o presidente da Câmara, Misael Galvão (PTB), não vota.    

 

Relatório    

Por 2 votos a 1, a CPI do Paletó aprovou o pedido de abertura de processo de cassação contra o prefeito Emanuel Pinheiro  e o seu afastamento do cargo de prefeito por até 180 dias. A CPI investiga uma suposta tentativa de obstrução feita pelo prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro nas investigações da Operação Ararath, na qual é acusado de recebimento de propina em 2013, quando ele ainda era deputado estadual.    

 

Votos    

 

Pela Cassação    

Abílio Júnior (PODE)

Diego Guimarães (Cidadania)

Felipe Wellaton (Cidadania)

Lilo Pinheiro (PDT)

Marcelo Bussiki (DEM)

Sargento Joelson (SD)

Kero Kero (PODE)

Dilemário Alencar (PODE)    

 

Contra a Cassação    

Adevair Cabral (PTB)

Orivaldo da Farmácia (PP)

Adilson da Levante (PSB)

Aluízio Leite (PV)

Luciana Zamprone (PTB)

Drº Xavier (PTC)

Juca do Guaraná (MDB)

Justino Malheiros (PV)

Luís Claudio (PP)

Marcrean Santos (PP)

Mário Nadaf (PV)

Renivaldo Nascimento (PSDB)

Toninho de Souza (PSDB)

Vinicius Hugueney (SD)

Ricardo Saad (PSDB)     

 

Ausente  

Clebinho Borges (PDT)

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Com o resultado da eleição, você acredita em uma Cuiabá melhor a partir de 2021

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 30/11/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 61,50 -0,81%

Algodão R$ 126,42 0,73%

Boi à vista R$ 252,95 0,03%

Soja Disponível R$ 160,00 0,63%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.