Publicidade

Cuiabá, Domingo 12/07/2020

Política de MT - A | + A

economia parada 18.05.2020 | 18h58

Vereadores fiscalizam auxílio emergencial; pagamento será ainda em maio

Facebook Print google plus

João Vieira

João Vieira

Os vereadores vão fiscalizar a aplicação do programa Renda Solidária, auxílio emergencial aos feirantes, ambulantes e catadores proposto pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). Os representantes do Poder Legislativo estavam de fora do projeto apresentado pelo emedebista, mas foram incluídos no comitê de fiscalização dos valores depois da aprovação de uma emenda do vereador Lilo Pinheiro (PDT). 

 

Ao , Lilo explicou que o comitê gestor era composto por integrantes de 8 secretarias, mas excluia a Câmara Municipal de Cuiabá. "Fazendo um estudo aprofundado da matéria que chegou para o nosso estudo e aprovação, detectamos a ausência. Uma das atribuições constitucionais da Câmara é o de fazer a fiscalização dos atos do Poder Executivo. Com isso, o comitê gestor precisaria ter a participação de um representante da Câmara de Cuiabá para fazer valer nossa atribuição, apresentamos a emenda e conseguimos a aprovação", disse o vereador.

 

Leia também - Emanuel tacha CPI é 'politicagem' e que ainda não gastou recursos

 

A Câmara Municipal mandou o projeto para sanção do prefeito Emanuel Pinheiro. O presidente do Legislativo, vereador Misael Galvão (PTB) recebeu o texto na sexta-feira (15), convocou sessão extraordinária para o sábado (16) e votou o projeto antes da meia-noite.  “Apreciamos essa mensagem em regime de urgência devido a sua importância. Muitos pais de famílias estão sem poder trabalhar por conta da pandemia. Este projeto beneficia algumas categorias e deve auxiliar a passar por este momento difícil. Aprovamos no sábado e já estamos encaminhando ao Executivo hoje para que o prefeito sancione o quanto antes”, explicou o petebista.  

 

Pagamento em maio

O prefeito Emanuel Pinheiro disse que o município trabalha para fazer o pagamento do auxílio ainda em maio. Destacou que o pagamento será em forma transferência diretamente na conta do beneficiário. “A parte mais demorada é abertura de contas daqueles que ainda não possuem. Mas, já determinamos aos secretários de cada uma dessas Pastas que façam uma força-tarefa para cumprir esse requisito. A partir disso, prevemos que até a última semana de maio façamos o pagamento da primeira parcela e, no mesmo período de junho e julho, das outras duas. Essa é a nossa programação, dependendo apenas de superarmos, com agilidade e segurança, essa fase administrativa”, explica o prefeito. 

 

Somadas as 3 parcelas, a prefeitura pretende gastar R$ 2,530 milhões, sem criar nenhuma despesa a mais aos cofres do Município. R$ 600 mil será do valor das verbas indenizatórias que foram suspensas e R$ 870,5 mil da Habitação e Reguralização Fundiária e R$ 1 milhão de encargos e tarifas.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

ILDO PEREIRA - 19/05/2020

O povo nao quer esmola e sim condiçoes de começar a trabalhar, isso que voces vereadores tinham que começarem a fazer.

1 comentários

1 de 1

Enquete

Você acredita na eficácia das barreiras sanitárias implantadas em Cuiabá?

Parcial

Edição digital

Domingo, 12/07/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,57 0,75%

Algodão R$ 91,52 0,21%

Boi a Vista R$ 136,25 -0,06%

Soja Disponível R$ 79,00 -1,25%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.