Publicidade

Cuiabá, Domingo 20/09/2020

Política Nacional - A | + A

Cargo 03.08.2020 | 08h16

Bolsonaro não pretende tirar Pazuello do comando da Saúde

Facebook Print google plus

Reprodução

Reprodução

Apesar de pressões e da interinidade do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o presidente Jair Bolsonaro não tem intenções de trocar o comando da pasta, ao menos não no curto prazo.

 

Desde que assumiu, em 15 de maio, com a demissão de Nelson Teich, o até então secretário executivo da Saúde é visto como uma solução provisória, tanto é que foi nomeado oficialmente como interino em 3 de junho, e não como titular.

 

Leia também - Bolsonaro diz que ele e ministros tomaram cloroquina e 'funcionou'

 

Bolsonaro, no entanto, tem dificuldades de achar um nome para ocupar a pasta após as traumáticas saídas de Mandetta e Teich.

 

O próprio Pazuello teria deixado claro ao presidente que sua missão seria temporária, de até 90 dias, que vencem em 15 de agosto. A situação gerou articulações de partidos do centrão, base aliada do presidente no Congresso, que sugerem nomes para o comando, como do deputado Hiran Gonçalves (PP-RR), médico e presidente da frente parlamentar de Medicina. Esta não é a primeira vez que o nome do parlamentar é apresentado ao presidente.

 

Pazuello, no entanto, pode estender a permanência se houver apelo do presidente. Ele enfrentou o auge das críticas até agora durante a crise pública com o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, há duas semanas, quando Mendes disse que o Exército estava "se associando a um genocídio".

 

Naquele momento aumentaram as pressões dos próprios militares para que ele deixasse o cargo. Eles defendem que para se manter na pasta o general deveria ir para a reserva, assim como fez o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Pazuello, no entanto, não teria intenções de encerrar a carreira militar.

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Onze candidatos disputam o Senado, você acha que o número amplia o leque de propostas ou mostra a desunião da classe política?

Parcial

Edição digital

Domingo, 20/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,80 -2,46%

Algodão R$ 89,94 -0,27%

Boi a Vista R$ 135,00 -0,49%

Soja Disponível R$ 67,70 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.