Gazeta Digital

Prefeitura diz que pacientes recebem atendimento

Chico Ferreira

Chico Ferreira

A Secretaria de Saúde de Cuiabá, que é a responsável pela regulação e encaminhamento dos pacientes tanto da Capital quanto do interior que recebem tratamento médico pelo SUS na cidade, informou que nenhum paciente deixou de receber atendimento por causa da paralisação da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, que paralisou suas atividades em 11 de março.

 

Segundo a Secretaria os novos pacientes foram encaminhados para atendimento no Hospital Geral, Hospital de Câncer de Mato Grosso, Hospital Santa Helena e também clínicas particulares. Essas unidades já possuem convênio com a Prefeitura e tiveram contrato aumentado para atender a demanda excedente.

 

Diferente de unidades como o Pronto-Socorro de Cuiabá, a Santa Casa é uma instituição filantrópica e, portanto, privada, na qual são contratados e pagos serviços, onde não é possível fazer investimentos diretos, apenas pagamentos pelo atendimento realizado. Com o fechamento da unidade, foi feito um remanejamento através de outros hospitais, para que a demanda pudesse ser atendida. 

 

Permanecem em atendimento na Santa Casa os pacientes da oncologia infantil, pois foi feito um acordo com a equipe médica para que os médicos possam receber diretamente, o que está sendo analisado pelo jurídico da Secretaria.

 

Leia também - Diretor é acusado de ser agressivo e mal educado com funcionários; veja

 

Já a oncologia adulta, “os pacientes continuam em atendimento, pois foi feito acordo com a equipe, que e maneira respeitosa continuam a atendê-los no estabelecimento do Centro de Oncologia de Cuiabá (COC)”, informou o superintendente da Central de Regulação, João Milanez.

 

Continuam internados na Santa Casa 4 pacientes da oncologia infantil, que segundo a Secretaria, “não quiseram ser transferidos por decisão dos pais, que gostam muito do tratamento recebido”, explica o superintendente.

 

Milanez explica que o grande problema atualmente é a sobrecarga do restante do sistema, como o Pronto-Socorro de Cuiabá, que não dispõe mais de leitos de retaguarda para apoio e precisou atender pacientes nos corredores. “Todo o sistema fica sobre carregado com o não atendimento da Santa Casa. Porém, tudo está acontecendo de forma metódica e por etapas”.

 


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br