Gazeta Digital

Cavaleiros protestam para manter competições com animais

João Vieira

João Vieira

Embaixo do sol típico de Cuiabá, cerca de 300 cavaleiros desfilaram pelas ruas da cidade na manhã desta terça-feira (18), para manifestar contra uma decisão da Justiça que apontou maus-tratos contra os animais. Por volta das 8h, eles saíram do haras Twin Brothers, no bairro Santa Rosa, e andaram 10 km até a Assembleia Legislativa, no Centro Político Administrativo.

 

Leia também - Homem de 60 anos é encontrado morto da Rodovia dos Imigrantes

 

Seguindo uma denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o juiz Rodrigo Roberto Curvo proibiu a realização da prova do laço, que estava marcada durante a 7ª Semana do Cavalo, entre os dias 25 de maio de 1 de junho. Conforme Cae Póvoas, um dos proprietários do haras, a medida gerou um prejuízo de R$ 400 mil ao estabelecimento.

 

"Nosso segmento vem sofrendo várias ações do Ministério Público junto com as ONGs que vêm causando prejuízos imensuráveis tanto financeiros quanto emocionais para todo o segmento. Nós cansamos disso, queremos trabalhar. Não somos bandidos, não somos ladrões, só queremos lutar pelo nosso direito de trabalhar", afirmou o empresário. 

 

Conforme a denúncia, as provas podem ser caracterizadas como maus-tratos pois geram sofrimento físico e psíquico aos equinos, bovinos e caprinos. MPE ainda citou decisões proferidas nacionalmente no mesmo sentido. O empresário, contudo, nega que os animais sejam desrespeitados. 

 

"O que eles fizeram com a gente na semana passada foi uma situação inaceitável. Mediante isso a única solução que a gente viu foi vir buscar apoio para regulamentar o nosso esporte", afirmou. 

 

Prejuízo com a proibição, de acordo com o empresário, foi devido à decisão ter sido proferida na véspera da prova. Ele explicou que vários participantes vindo de diversos estados do país já tinham vindo para o evento.


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br