Gazeta Digital

Sertanejo 'raiz' embala e emociona várias gerações na primeira noite em Chapada dos Guimarães

Luiz Leite

Luiz Leite

Sertanejo ‘raiz’ embala famílias em Chapada dos Guimarães Os cantores Sérgio Reis e Renato Teixeira, que viajam o país juntos com o show Amizade Sincera – como também foi batizado o álbum – conseguiram um dos objetivos que tinham traçados para a primeira noite do 34º Festival de Inverno de Chapada dos Guimarães: criar empatia com o público.

 

“Não sei vaiado e nem levar tomatadas”, disse em tom humorado Sérgio Reis, pioneiro da música sertaneja em alcance nacional, hoje com 79 anos. 

 

Para Renato Teixeira, que também é compositor, subir ao palco do festival ao lado do amigo, quem carinhosamente chama de ‘grandão’, é motivo de orgulho. “Ver o pessoal cantando com a gente nos deixa orgulhoso. Criar empatia com o público, aí à magia acontece. Criamos uma memória auditiva boa, dormimos e acordamos em paz, tranquilos”, disse.

 

Leia também - Chapada dos Guimarães recebe Zeca Pagodinho

 

Reis conta que o show tem como objetivo apresentar os clássicos para a nova geração. “Não pensamos em gravar nada e fazer sucesso e sim resgatar as músicas lindas que a nova geração não conhece. É um trabalho feito com muito carinho e amor. Renato é pensante, sou obediente com ele”. 

 

Teixeira, que é pioneiro no Festival de Inverno, destacou a importância de Sérgio Reis para a música brasileira. “72% do marcado sertanejo foi o ‘grandão’ que deu o tiro inicial. Estar ao lado dele, cantando, me agrada muito”.

 

Dançar e chorar

 

A dupla Di Paulo e Paulinho contou conheciam o festival, mas que é a primeira vez que sobem ao palco local. “É uma emoção, mas ainda uma emoção diferenciada por estar ao lado de dois ícones da música, Sério Reis e Renato Teixeira”, contaram. 

 

Luiz Leite

Festival de Inverno

 

Para o show, os cantores contaram ao #GD que prepararam um setlist feito para dançar e chorar. “Pra fazer dançar, chorar de emoção, de saudade, alegria. Cada choro pode representar um sentimento. O público no nosso show vai de 8 a 80 anos. Então pensamos nas canções que nos fizeram chegar até aqui, especialmente as que mexeram com o coração da moçada”. 

 

Eles destacaram ainda a importância do festival para o acesso à cultura. “Nosso país tem uma cultura tão rica e bonita, então, estamos felizes de estar aqui representando. O Brasil precisa disso e Mato Grosso está dando exemplo de acesso. Temos aqui um povo sensível à música sertaneja, gosta da viola e nos emociona”. 

 

Papel Social 

 

Vice-presidente do Grupo Gazeta de Comunicação, Carlinhos Dorileo, contou que ao longo das 34 edições do festival, sendo que mais de 20 foram realizados pelo grupo, foram mais de 100 shows gratuitos ofertados ao público. 

 

“Todos os gêneros musicais já passaram por esse palco. Grandes nomes da música embalaram o público, que teve acesso de forma gratuita. É um trabalho muito grande, tudo dentro das normas de segurança e conformes estruturais”, relatou. 

 

Ele destacou ainda que o sentimento é de felicidade, já que o Grupo Gazeta se tornou amigo e parceiro de Chapada dos Guimarães.

 

Luiz Leite

Festival de Inverno

 

“O festival representa o turismo, alegria, entretenimento e cumpre ainda com o papel social de fomentar a economia, não só em Chapada, como no entorno também. Então, desde o vendedor de picolé até dono de pousada são beneficiados”.

 

Festival de Inverno é realizado pelo Grupo Gazeta de Comunicação e pelo Instituto Usina, em parceria com A Prefeitura de Chapada dos Guimarães, com apoios da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel).


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br