Gazeta Digital

TJ manda ação de desvio no Detran para TRE; veja acusados

TJ-MT

TJ-MT

Os desembargadores que compõem o Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ) determinaram que a ação que apura desvio no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) deve tramitar no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O crime é investigado na Operação Bereré e tem 40 nomes na lista de acusados.

 

Leia também - Após 4 meses, obras de viadutos ainda estão em fase inicial

 

O processo julgado nesta quinta-feira (9) abrange os deputados Wilson Santos (PSDB), Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), e Eduardo Botelho (DEM). No entanto, em sessão anterior o relator da ação, o desembargador Paulo da Cunha determinou que as ações referentes a todos os investigados sejam reunidas e encaminhadas à Justiça Eleitoral.

 

As ações tinham sido desmembradas e algumas tramitavam no Tribunal de Justiça e outras na 7ª Vara.

 

A mudança começou a ser votada em agosto, porém o desembargador havia pedido vista do processo e retornou à pauta nesta quinta. Por maioria, os magistrados decidiram que os desvios devem ser apurados no TRE, uma vez que os valores desviados por meio de fraude em convênio com o Detran foi usado para abastecer caixa 2 de campanha eleitoral dos investigados.

 

Operação Bereré

A Operação  Bereré desarticulou suposta organização responsável por cobrar propina em troca da manutenção no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do contrato de concessão e execução das atividades de registros de financiamentos de veículos com cláusula de alienação fiduciária, de arrendamento mercantil e de compra e venda com reserva de domínio ou de penhor.

Na ocasião, para obter êxito, a empresa supostamente favorecida se comprometeu a repassar parte dos valores recebidos com os contratos para pagamento de campanhas eleitorais. Estima-se que foram pagos cerca de R$ 30 milhões em propina.

Confira nomes de investigados na operação

 

Confira nomes:
Núcleo de liderança
Teodoro Moreira Lopes, o Dóia (ex-presidente do Detran e delator do esquema)
Mauro Luiz Savi (deputado pelo DEM)
José Eduardo Botelho (deputado pelo DEM e presidente da Assembleia)
Silval da Cunha Barbosa (ex-governador de Mato Grosso)
Pedro Henry Neto (ex-deputado federal)
Paulo Cesar Zamar Taques (ex-secretário chefe da Casa Civil)

 

Núcleo de Operação
Antonio aa Cunha Barbosa Filho (irmão de Silval Barbosa)
Marcelo da Costa e Silva
Antonio Eduardo da Costa e Silva
Claudemir Pereira dos Santos
Silvio Cézar Correa de Araújo (ex-chefe de gabinete de Silval)
Rafael Yamada Torres
Roque Anildo Reinheimer
Dauton Luiz Santos Vasconcellos
Merison Marcos Amaro
Hugo Pereira de Lucena
Pedro Jorge Zamar Taques (irmão de Paulo Taques)
José Kobori
José Henrique Ferreira Gonçalves
José Ferreira Gonçalves Neto

 

Núcleo subalterno
João Antonio Cuiabano Malheiros
Cleber Antonio Cini
Janaina Polla Reinheimer
Odenil Rodrigues De Almeida
Tschales Franciel Tscha
Claudinei Teixeira Diniz
Marcelo Henrique Cini
Rômulo Cesar Botelho
Valdir Daroit
Marilci Malheiros Fernandes de Souza Costa e Silva
José Domingos Fraga Filho (Deputado pelo PSD)
Wilson Pereira dos Santos (Deputado pelo PSDB)
José Joaquim de Souza Filho, o Baiano Filho (Deputado pelo PSDB)
Ondanir Bortolini, o Nininho (Deputado pelo PSD)
Romoaldo Aloisio Boraczynski Junior (Deputado pelo MDB)
Jorge Batista da Graça
Elias Pereira dos Santos Filho (irmão de Wilson Santos)
Luiz Otávio Borges
Wilson Pinheiro Medrado
Valdemir Leite da Silva
Jurandir da Silva Vieira

 


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br