Gazeta Digital

Justiça bloqueia até dinheiro do Ifood que seria recebido pelo Getúlio

Reprodução

Reprodução

Após falência do Getúlio Grill, a juíza  Anglizey Solivan de Oliveira da 1ª Vara Cível da Comarca de Cuiabá determinou o bloqueio dos bens do restaurante. O mandado foi expedido para os bancos e ao aplicativo Ifood, que vendia comida produzida no estabelecimento. 

 

Leia também - Justiça manda suspender sindicância contra Carlos Novelli

 

Na decisão, a juíza lembra que o local onde funcionava o restaurante foi lacrado pelo administrador judicial que cuidava da empresa. Parte dos alimentos que corria risco de estragar de forma breve foi doada à Associação Luz de La Salette o restante foi autorizado pela juíza para que fosse feita venda direta. 

 

A juíza também determinou que a Energisa, ainda não proceda o corte de energia no local do estabelecimento. A magistrada alega que o corte no fornecimento da luz pode gerar um prejuízo ainda maior, já que os alimentos armazenados no local poderão estragar. 

 

O bloqueio total é no valor de R$ 2,1 milhões. Os bens perecíveis poderão ser vendidos e o dinheiro depositado em uma conta judicial ligada ao processo.   


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br