Gazeta Digital

Por já ter passado fome, Mané declara que não há necessidade de ter 10 Ferraris ou 20 relógios

Bulent Kilic/ AFP

Bulent Kilic/ AFP

Sadio Mané destoa de outros jogadores famosos do futebol. Avesso a ostentação, o senegalês relembrou seu passado para justificar sua falta de interesse na compra de carros e objetos de luxo. O atacante do Liverpool destacou que é mais importante ajudar quem necessita, como tem feito em Senegal.

 

Leia também - Mulher e bebê reféns em assalto são libertados

 

"Para que quero dez Ferraris, 20 relógios com diamante e dois aviões? O que faria isso pelo mundo? Eu passei fome, trabalhei no campo, joguei descalço e não fui ao colégio. Hoje posso ajudar as pessoas. Prefiro construir escolas e dar comida ou roupa às pessoas pobres", apontou, antes de completar:

 

"Construí escolas, um estádio, proporcionamos roupa, sapatos e alimentos para pessoas em extrema pobreza. Além disso, dou 70 euros por mês a todas as pessoas em uma região muito pobre em Senegal para contribuir com sua economia familiar", pontuou em entrevista ao site 'TeleDakar'.


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br