Gazeta Digital

Empresas de ônibus têm até 180 dias para as adequações em Cuiabá

Otmar de Oliveira

Otmar de Oliveira

Na manhã desta segunda-feira (23), o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) assinou o contrato com as empresas que irão operar o transporte coletivo em Cuiabá. Elas têm até 23 de junho de 2020 para se adequar o novo edital e o gestor garante que as melhorias não irão impactar em aumento da tarifa, pelo menos por enquanto.

 

Leia também -62% dos pontos de ônibus da Capital não têm abrigo

 

O emedebista destaca que há 20 anos não era realizada licitação no setor e que isso é um “marco” para a cidade. Afirma que em 6 meses as empresas têm que renovar metade da frota com veículo equipados com ar condicionado, cadeiras preferencias e wifi.

 

A frota será “rejuvenescida” em pelo menos 1, caindo de 5,5 anos para idade média de 4,5 anos. O prefeito destaca que Cuiabá será a única Capital do Brasil a contar com 50% da frota climatizada.

 

Questionado sobre os reajustes que poderão ser feitos com as melhorias, o gestor descartou qualquer aumento imediato. Ainda esclareceu que, recentemente, as empresas solicitaram revisão das passagens para R$ 4,25, mas a Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec) negou o pedido.

 

“O sistema ganha quando você coloca mais passageiros no ônibus. O aumento da tarifa afugenta os usuários e isso encarece ainda mais o sistema. É um ciclo vicioso. Temos que regular o sistema e melhorar os serviços para atrair mais passageiros. Existe uma tarifa de R$ 4,1. Houve um pedido para R$ 4,25 que foi negado pela Arsec”, explica o prefeito.

 

“Se houve algum desequilíbrio econômico por conta as exigências para atendimento ao edital, iremos buscar maneiras para desonerar o sistema, porque o usuário não aguenta pagar mais . O setor produtivo que tem sua cota parte no transporte não aguenta pagar mais. Existem maneiras de desonerar o sistema e eu já autorizei a equipe técnica a buscar maneiras de desonerar o sistema que não seja aumentar a tarifa. Isso se chama tarifa técnica para poder garantir o funcionamento e os investimentos no setor. Por hora não haverá reajuste na tarifa”, afirma.

 

As empresas Integração Transporte LTDA; Caribus Transportes e Serviços LTDA; Rápido Cuiabá Transporte Urbano LTDA; Viação Paraense LTDA e Pantanal Transporte Rodoviário; e Serviço de Locação Eireli terão 180 dias para se adaptar às novas exigências e só poderão fazer reajuste na tarifa em 2021, quando já terão 6 meses de atuação no Município.

 

As empresas terão direito atuar na cidade por 20 anos, sendo possível prorrogar por mais 5.

 


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br