Gazeta Digital

Comida, música e arte na feira

Rita Comini

Divulgação

Divulgação

Imagine degustar uma refeição preparada por uma chef de cozinha premiada, ao som de um piano de cauda e assistindo uma exposição e performance de artes plásticas.

 

É isso que vai acontecer no próximo sábado, 15, no Mercado do Porto, em Cuiabá, a partir das 10 horas indo até as 13h, quando a chef Ariani Malouf, o pianista Dario Scherner e o artista plástico Rafael Jonnier se juntam no Banquete na Feira comida, música e arte.

 

Organizado pelo restaurante Mahalo e Projeto Piano Gente, em parceria com a Organização do Mercado do Porto de Cuiabá-MT (OMPC), o banquete cultural e gastronômico visa proporcionar uma experiência única, valorizando o que é nosso, reunindo famílias e ainda ajudando o próximo.

 

 

Chico Ferreira

Feira do Porto

 

A chef vai preparar na hora dois pratos regionais com um toque de cozinha contemporânea. Serão servidos arroz da terra com ossobuco e farofa de quiabo crocante, e caldeirada de pintado com banana frita e croquete de mandioca. Segundo ela, na definição das receitas foram considerados dois aspectos, o sabor, que sempre tem que ser marcante, inesquecível, e um custo acessível para vender as refeições e fazer a doação pretendida. Em nenhum momento eu pensei em ir para a Mercado do Porto fazendo o clássico regional, eu queria fazer a cozinha do Mahalo na Feira do Porto, então a gente traz o peixe, a carne, a banana, o quiabo e compondo com todas as ideias que já fazem parte do nosso dia a dia, da nosso rotina do restaurante.

 

As porções individuais serão vendidas a R$ 15 reais e 50% da venda serão revertidos para o Instituto Santa Terezinha do Menino Jesus e a Sagrada Face. Serão preparadas somente 400 porções.

 

Ariani conta que a ideia de fazer uma intervenção no Mercado do Porto e levar a cozinha do Mahalo para lá surgiu há algum tempo. No final do ano, o Dario me ligou para a gente fazer uma matéria para a tevê com ele tocando seu piano de calda e eu faria uma receita para o Natal. Como eu já tinha esse sonho de fazer uma coisa na feira, falei par ele sobre a gente fazer um evento na feira, conta num misto de animada e emocionada ao ver o sonho se realizando. Segundo ela, é precisa ajudar a trazer as pessoas para a Feira do Porto, despertar essa vontade nos jovens, nas famílias, de conhecer, de frequentar, fazer esse resgate cultural e gastronômico mesmo. Muitas pessoas já frequentam, mas existe muita gente que acaba não indo até lá. Nosso objetivo é fomentar essa cultura gastronômica através do Mercado do Porto.

 

Ela se diz muito animada com esse projeto. Eu acho que ele vai ser incrível por tudo que a gente conseguiu unir, a comida, a música, a arte, a feira, são pilares importantíssimos culturalmente e ainda ajudar o próximo. Vai ser muito mais do que um comércio, será uma troca de experiências, constata.

 

Para o pianista Dario Scherner, o projeto significa um grande encontro de amigos que decidiram juntar as forças para proporcionar um banquete cultural. Algo que reúna música, gastronomia, artes plásticas e outras artes em um lugar especial e que deve ser mais frequentado principalmente pela nova geração. O Mercado do Porto é um lugar que oferece produtos saudáveis da nossa região e deve ser mais valorizado pela população.

 

O repertório do Piano Gente percorre o clássico, mpb, rock e até o nosso rasqueado. Scherner explica que o projeto visa também atingir crianças carentes através da Associação Piano Gente na qual ele preside.

 

Divulgação

Artista plástico Rafael Jonnier

 

O artista plástico Rafael Jonnier destaca que sua participação no Banquete será uma experiência será única. Valorizar a nossa cultura é muito gratificante para mim. Sobre sua performance, diz não saber ainda o que vai pintar. Vou me inspirar no momento vivido no evento, o que vai estar rola por lá. Ele só em uma certeza que a comida é uma fonte de inspiração, pois gastronomia e arte andam lado a lado.

 

Com bastante kow-how em logística para eventos em lugares públicos, Ariani conta que ela e sua equipe vão levar o mise en place preparado e vão finalizar os pratos na hora. A equipe vai utilizar a estrutura de um dos boxes da Feira. Nós vamos levar os equipamentos de cozinha, forno, fogão, tudo que será necessário para servir esse prato com qualidade, quentinho e que as pessoas lembrem que é a cozinha do Mahalo, que é a nossa cozinha que estará lá naquele dia na Feira.

 

Para o presidente da Organização do Mercado do Porto de Cuiabá-MT (OMPC), José Ismar de Azevedo Filho, o objetivo do evento é movimentar o lugar e oferecer às pessoas uma experiência diferente do cotidiano delas.

 

Queremos também atrair um público uma nova geração de clientes, gente mais jovem, mais digital, para movimentar o Mercado e divulgar o espaço que é público e muita gente não disse e nem da existência dele.


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br