Gazeta Digital

TJ revoga prisão de jornalista acusado de crimes sexuais

Reprodução

Reprodução

Justiça revogou a prisão do jornalista e ex-assessor parlamentar Leonardo Heitor, que foi preso em 25 de novembro, após descumprir medida protetiva de urgência contra uma vítima que o denunciou por crimes sexuais. Defesa conseguiu um Habeas Corpus na tarde de quarta-feira (12), mas ele segue preso devido a outros crimes.

 

Em nota, a defesa do jornalista, patrocinada pela advogada Wellen Candido Lopes, informou que ele não responde nenhum processo por estupro ou tentativa de estupro, “respondendo apenas pelos crimes de importunação sexual”, disse.

 

Leia também - MPE não vai recorrer de liberdade de agente penitenciário que espancou namorada e enteado

 

Apesar disso, ele foi indiciado pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Mulher por estupro, estupro tentado, importunação sexual, ameaça, gravação não autorizada da intimidade sexual e descumprimento de medida protetiva de urgência.

 

Dois inquéritos tramitam na 8º Vara Criminal de Cuiabá e outro na 3º Vara Criminal, todos por importunação sexual. “Trata-se de crimes de médica complexidade, com pena de reclusão de 1 a 5 anos”, informou a advogada.

 

Sobre a tentativa de estupro, a Justiça revogou a prisão preventiva na tarde de quinta-feira. A defesa argumentou que a ação foi desclassificada de tentativa de estupro para tentativa de importunação sexual. “A defesa demonstrou inúmeras contradições no depoimento da vítima e das testemunhas ouvidas”.

 

Por enquanto, Leonardo continua preso no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), já que está preso em decorrência das outras ações que ainda tramitam. 

 

Em fevereiro, a Justiça havia negado um Habeas Corpus protocolado logo após a sua prisão, julgado com base nas informações da audiência de custódia. A defesa segue recorrendo.


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br