Gazeta Digital

Motorista do Uber acaba banido após gravação de assédio

Reprodução/Record TV

Reprodução/Record TV

O motorista do Uber que aparece em um vídeo gravado e divulgado nas redes sociais por uma adolescente de 17 anos para mostrar um caso de assédio foi banido do aplicativo. A abordagem ocorreu durante uma corrida na tarde de domingo (16), na cidade de Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

 

A empresa informou a exclusão do motorista por meio de nota, em que afirma considerar inaceitável e repudiar qualquer ato de violência contra mulheres. "A conta do motorista parceiro foi banida assim que a denúncia foi feita. A empresa defende que as mulheres têm o direito de ir e vir da maneira que quiserem e têm o direito de fazer isso em um ambiente seguro", diz o texto.

 

Leia também - 'Jornal da Record' estreia série de reportagens que aborda a infância de crianças em 7 países diferentes

 

Em entrevista prestada ainda na delegacia, o homem tentou se justificar dizendo que a adolescente estava com um “short tipo Anitta, com uma mini blusa e as pernas abertas no banco, me chamando atenção”. Após o comentário, a cantora se manifestou nas redes sociais.

 

Abordagem

A jovem se deslocava para a casa de uma amiga quando foi abordada pelo condutor. Ao perceber que estava sendo assediada, começou a gravar o diálogo com a câmera do celular virada para o próprio rosto.

 

O motorista diz que poderia namorar a jovem, ao que ela responde que é menor. O condutor insiste, dizendo que esse não seria um problema. "Problema seria se tu tivesse 13 anos. E eu acho que tu não tem 13 anos... De 14 para cima, tu já é responsável", rebateu.

 

Depois, ele diz que a namoraria, se ela não tivesse namorado. A jovem então diz que o motorista tem idade para ser o pai dela. Mas ele insiste: "Não sou teu pai nada". Ela continua: "Mas tem idade". E ele continua: "Eu faria coisas que teu pai não faria. Pode ter certeza".

 

A jovem, então, tenta colocar um fim na conversa. "Eu não tenho interesse, obrigada", disse. "Estou só brincando, eu não estou dizendo que você deveria ter interesse", é a última fala do motorista no vídeo.

 

Ao fim da viagem, ela denunciou o perfil do motorista no aplicativo e registrou um boletim de ocorrência na Delegacia da Mulher de Viamão. A Uber informou que o colaborador teve a conta banida e não atua mais na plataforma.

 

Ao registrar a ocorrência ao lado da filha na delegacia, a mãe da jovem lamentou o episódio e disse ter ficado "enojada e indignada" com o assédio. Segundo a mãe da garota, o Uber era o meio de transporte utilizado para evitar assaltos em ônibus.

 

Responsável pela investigação do caso, a delegada Marina Dillenburg disse que o suspeito prestaria depoimento nesta terça-feira e poderá ser indiciado, futuramente, por ter cometido crime contra a honra. "Estamos em contato com as demais plataformas para verificar se já houve algum episódio similar com este motorista. Vamos colher mais provas e esperamos receber mais denúncias, pois já temos notícias, de redes sociais, de outros casos envolvendo este suspeito, porém nada formal ainda. Aproveito para pedir às demais meninas que sempre procurem as autoridades."


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br