Gazeta Digital

Conselho de Enfermagem cobra medidas para evitar contaminação de profissionais

Reprodução

Reprodução

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) notificou na última segunda-feira (30) três unidades de saúde, por descumprirem medidas de proteção ao profissional da enfermagem contra a contaminação do coronavírus. Na sexta-feira (27) também houve registro de reclamações.


As unidades de saúde foram advertidas por manterem na linha de frente de atendimento, enfermeiros com mais de 60 anos, grávidas e portadores de doenças crônicas, classificados no grupo de risco.


Ainda na segunda-feira, um enfermeiro, que atua em unidade de saúde do Estado, foi internado em estado grave de coronavírus. O enfermeiro pertence ao grupo de risco, por ser portador de doença crônica.

 

Leia também - Faltam máscaras, álcool em gel e até óculos de proteção em hospitais de MT


Segundo levantamento feito pelo conselho, ainda há grande número de profissionais neste grupo de risco em atividade. Em instituições públicas e privadas, a fiscalização identificou funcionários com doenças crônicas, gestantes, com idade acima de 60 e até acima de 80 anos.


Fora essa denúncia, a falta de fornecimento de Equipamento de Proteção Individual (EPIs) para os profissionais foi levado em consideração, assim como treinamento precário e desorganização das equipes. A melhoria na infraestrutura das unidades também foi incluída na notificação, uma vez que faltam itens como pias para lavar as mãos, sabão e álcool 70%, além de goteiras e infiltrações.


O conselho direcionou as notificações aos gestores do Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, Unidade Saúde da Família Serra Dourada, no bairro Ouro Fino e do Hospital Regional Irmã Elza Giovanelli, em Rondonópolis. Segundo o órgão, a situação também seria grave no Pronto Socorro de Várzea Grande, uma das instituições determinadas como referência para o atendimento aos pacientes da Covid-19.


"Desde a última semana, quando deu início ao atendimento via aplicativo Whatsapp, o Coren-MT atendeu a mais de 30 chamadas relacionadas à pandemia do coronavírus, entre as quais 16 denunciavam a falta ou insuficiência de EPIs", diz trecho da notificação.


O conselho exige o imediato afastamento destes funcionários e alerta para o risco de contaminação em massa dos profissionais da enfermagem no Estado, caso não sejam tomadas medidas urgentes para melhorar a infraestrutura da rede pública de saúde.

 

Veja o vídeo 

 


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br