Gazeta Digital

Barbudo afirma que Moro quis se promover com demissão oportunista

Otmar de Oliveira

Otmar de Oliveira

Deputado federal e aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Nelson Barbudo (PSL) se manifestou sobre a demissão do ministro da Justiça, Sérgio Moro, que fez acusações contra Bolsonaro. Para Barbudo, a demissão foi "premeditada" e escolhida para "buscar mais alguns segundos de autopromoção".

 

“Desde o momento em que ele, de forma totalmente irresponsável, foi à mídia para anunciar sua saída, fui tomado por uma enorme decepção com a postura do senhor Sérgio Moro. De forma pensada, premeditada, ele escolheu o momento mais difícil da história do Brasil para buscar mais uns segundos de autopromoção”, disse o parlamentar.

 

Leia também - Nas ruas de Cuiabá, eleitores rejeitam Jair Bolsonaro

 

Barbudo também critica que as mensagens apresentadas por Moro não provam as acusações feitas. “As conversas por ele apresentadas à mídia, que supostamente deveriam provar o que ele disse, mas não provam nada, foram calculadamente por ele pensadas, como tudo o que ele fez. Moro tem um projeto de poder e ele não passa pela vontade democrática da população”.

 

O deputado ainda afirmou que o ex-ministro foi contrário às pautas pedidas pela população, como a liberação do porte de armas e por autorizar a prisão nos casos de descumprimento do isolamento social. "Estou muito decepcionado com ele, mas o Brasil, como uma democracia forte, que escolheu Bolsonaro como seu líder, seguirá. O projeto consagrado nas urnas, escolhido como o melhor para a população, segue em frente e seguirá. Nele não há espaço para vaidades, há apenas muito trabalho para quem quer ajudar".

 

Mantendo sua defesa a Bolsonaro, Barbudo ainda reforçou que o presidente tem legitimidade para as suas ações - e nomeações - pois foi escolhido pelos eleitores. "O povo brasileiro, de forma contundente, escolheu para conduzir os destinos do país o Capitão Jair Bolsonaro. Foram mais de 50 milhões de votos, uma campanha duríssima, em que até contra a vida do nosso presidente atentaram. Ele foi eleito, já o senhor Moro foi nomeado, escolhido pelo presidente para ser um dos seus auxiliares". (Com informações da assessoria)


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br