Gazeta Digital

Jornalistas de Cuiabá têm WhatsApp hackeado em ataque virtual

Reprodução

Reprodução

Pelo menos 8 jornalistas de Cuiabá tiveram as contas de WhatsApp hackeadas essa semana. De acordo com os boletins de ocorrência registrados, uma jornalista teve a conta invadida na segunda-feira (4) e o hacker conversou com vários contatos dela até conseguir novas vítimas. Pedidos de dinheiro foram realizados utilizando as contas invadidas pelo criminoso.

 

O golpe começava com mensagens de bom dia. Quem respondia era questionado sobre o sinal de celular e de que o aparelho do conhecido estava dando erro. Ao aceitar receber o código teste, a pessoa transmitia a mensagem recebia e tinha a conta invadida, não podendo mais utilizar o WhatsApp.

 

Leia também - Golpistas prometem cesta básica para roubar dados em MT

 

Uma das vítimas teve as informações de conversas da rede social utilizadas para pedir dinheiro à uma amiga. “A pessoa sabia como eu chama ela, falou de um assunto que eu tinha conversado recentemente e depois falou que eu estava internada e precisava de dinheiro urgente para um procedimento. Com muito custo conseguiram falar com a minha mãe, antes de transferirem qualquer dinheiro”, conta uma das vítimas.

 

Cuidado sempre

Reprodução/Redes sociais

WhatsApp hackeado

 


Delegado da Gerência de Combate a Crimes de Alta Tecnologia (Gecat), Eduardo Botelho enfatiza que é preciso ter cuidado sempre, pois os criminosos estão em busca de novas formas de enganar as vítimas e aplicar os golpes.

 

“Esse tipo de golpe é cíclico, sempre acaba voltando. O modus operandi é conhecido, através de um SMS a pessoa perde o controle da conta. Nesses casos é interessante confeccionar um boletim de ocorrência”, explica o delegado.

 

Outro ponto que merece atenção são os pedidos de dinheiro, mesmo que vindos de pessoas conhecidas e converse sobre assuntos em comum. “Um dos indícios fortíssimos do golpe nesse tipo de crime é que a conta para transferência não está no nome da pessoa”, informa Botelho.

 

Reprodução/Redes sociais

WhatsApp hackeado

 

Para evitar invasões, é possível aumentar a segurança do WhatsApp com a verificação em duas etapas, que é feita nas configurações do aplicativo. O usuário irá criar uma senha que evita que outras pessoas possam acessar remotamente a conta.

 

“Se a pessoa não havia feito a verificação em duas etapas, precisa enviar um e-mail para o WhatsApp relatando o que aconteceu para poder reiniciar a conta e voltar a ter o controle”, recomenda o delegado.

 

Tanto nos casos de tentativa de estelionato, quando o criminosos pede dinheiro, quanto para quem teve o WhatsApp hackeado, o boletim de ocorrência pode ser feito virtualmente, no site da Delegacia Virtual, na seção pré-registro de BO. Depois de preencher os dados e fazer um relato do crime, a vítima deve pedir a confirmação do boletim pelos telefones (65) 98463-2525 e (65) 98463-3009.


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br