Gazeta Digital

Garoto com doença rara precisa se afastar de cão durante pandemia de coronavírus

Arquivo Pessoal

Arquivo Pessoal

Dois amigos que viviam inseparavelmente precisaram ficar longe um do outro durante a pandemia do coronavírus. O pequeno Owen Howkins, de 13 anos, nasceu com uma doença rara e está isolado longe da casa onde mora com o pai, Will, a madrasta, Colleen, e Haatchi, um cãozinho deficiente que se tornou seu melhor amigo de três patas.

 

"Assim que a pandemia começou, todos estávamos preocupados com Owen, pois ele é especialmente vulnerável e muitas vezes precisa dormir com uma máquina respiratória que fornece oxigênio", explicou Will. O garoto nasceu com um distúrbio muscular que afeta sua respiração.

 

Leia também - Cantora gospel Fernanda Brum anuncia que está com covid-19; 'Orem por mim'

 

Como Colleen trabalha nos chamados serviços essenciais e não pode cumprir o isolamento social, Owen foi passar o período de quarentena na casa da mãe para não correr o risco de ser infectado. Desde então, o cachorro espera pelo garoto todos os dias na janela, assim como fazia quando Owen ia para a escola.

 

"Foi realmente difícil dizer adeus a Haatchi, ele é meu melhor amigo do mundo. Eu conto tudo a ele e me aconchego com ele todas as noites porque ele é tão grande e fofinho. Agora só posso vê-lo no meu iPad, mas não é a mesma coisa. Mal posso esperar para abraçá-lo novamente e beijar seu nariz sardento”, desabafou Owen.

 

Quando Haatchi foi adotado, há seis anos, a família descobriu que ele havia passado por maus-tratos e, por isso, tinha perdido uma das pernas. “Eles são praticamente inseparáveis ​​desde o primeiro dia e, quando cada um passa por problemas de saúde, eles se ajudam, até tomando remédios para dor juntos”, contou o pai.

 


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br