Gazeta Digital

Emanuel critica SES e pede testagem em massa em Cuiabá

Reprodução Facebook

Reprodução Facebook

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), participou nesta quarta-feira (20) de videoconferência com o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, e cobrou que o governo federal envie mais testes para que a prefeitura possa fazer o manejo da covid-19 em Cuiabá. Emanuel quer testes em massa para a população. Cuiabá é a capital com o menor número de óbitos causados pela doença para cada 100 mil habitantes, mas o coronavírus segue avançando pela Baixada Cuiabana.

 

Emanuel disse que sua fala contou com o apoio dos demais prefeitos de capitais de que é preciso disponibilizar mais testes. “Os testes rápidos a serem disponibilizados para as prefeituras dos grandes centros, especialmente nas capitais, para que possamos fazer o planejamento com mais eficiência do combate ao novo coronavírus”, disse.

 

Leia também - Mauro cobra Emanuel para abrir leitos de UTI em Cuiabá

 

O emedebista quer testar os profissionais de saúde e fazer uma estimativa do avanço da doença na cidade. “Fazer o teste rápido a partir dos profissionais da saúde e depois da população por estimativa, teremos um cenário mais seguro dos casos suspeitos e confirmados da covid-19 daqui pra frente, e possamos projetar ações mais eficazes e objetivas para se combater a propagação da covid-19 na nossa capital”, destacou.

 

Emanuel reclamou do número de testes insuficientes que recebeu da Secretaria Estadual de Saúde (SES). “Para se ter uma ideia, até agora a Secretaria Estadual de Saúde (SES) repassou para Cuiabá pouco mais de 4.500 mil testes rápidos. Não dá nem para atender os funcionários da Secretaria Municipal de Saúde da nossa capital, o que dizer de uma capital com quase 650 mil habitantes”, pontuou o prefeito.

 

Referência em Mato Grosso
O prefeito destacou também o fato de Cuiabá ser referência em Mato Grosso para o tratamento da covid-19. “Só em Cuiabá tratamos de 78 casos confirmados de covid-19 não residente em Cuiabá, que não mora aqui, mas é do interior ou de outros estados. Por isso, precisamos de um apoio maior para podermos planejar com maior eficiência e uma ofensiva nas ações contra o novo coronavírus.E nós estamos muito bem preparados e articulados. Fizemos o dever de casa”, destaca.


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br