Gazeta Digital

Motorista pede para passageiros usarem máscaras corretamente

João Vieira

João Vieira

Um motorista do transporte público de Cuiabá, que trabalha na empresa Pantanal Transportes, foi diagnosticado com coronavírus. Outros três motoristas estariam afastados do serviço sob suspeita da doença. Devido a esta situação e o avanço da doença na capital, um motorista da linha 410 pediu, nesta sexta-feira (22), para que todos os usuários colocassem as máscaras. 

 

Alguns dos passageiros estavam com a máscara no queixo. Todos seguiram a orientação do motorista que, inclusive, ameaçou descer do ônibus caso os usuários não estivessem usando o equipamento. Em contato com a Pantanal Transportes, a reportagem do #GD foi informada que ao menos 3 motoristas da empresa estariam afastados do trabalho. Eles tiveram contato com alguém da família com suspeita, então foram aconselhados a permanecerem em isolamento social.


No entanto, a Associação Matogrossense dos Transportadores Urbanos (MTU) afirmou que um motorista, que trabalha em uma linha da empresa, foi confirmado com a covid-19.

 

Leia também - Passageiros sem máscara causam confusão e quebram ônibus


De acordo com informações da MTU, ele estava de folga. Como a frota do transporte coletivo está reduzida em 70%, por conta do decreto do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), muitos empregados tiraram férias coletivas.


A esposa do homem, que não foi identificado, ligou para a empresa relatando que ele estava passando muito mal. Em seguida, foi diagnosticado com a covid-19. Ele está em tratamento há pelo menos 10 dias. Não há informações se o motorista faz parte do grupo de risco, como idade e doenças crônicas.


Ainda conforme a MTU, desde que o decreto foi sancionado, as empresas de transporte coletivo em Cuiabá precisam seguir protocolos de higiene à risca. O uso de máscaras não se restringe aos motoristas, pois passageiros só podem embarcar no veículo com máscara de proteção.


Além da obrigatoriedade do uso de máscaras, os motoristas quando chegam ao ponto final da linha passam por checagem de temperatura, com medição na testa. Ao menor sinal de febre, são dispensados para casa.


Operando com 70% da frota, os ônibus podem circular com 50% da lotação máxima. Além disso, dentro do veículo deverão estar dispostos álcool 70%, para higienização das mãos. As garagens e terminais também passam por desinfecção.


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br