Gazeta Digital

Mulher é presa em Cuiabá por vender remédio para aborto

PJC

PJC

Uma mulher de 21 anos foi presa na Capital por suspeita de vender um medicamento abortivo. Ela foi flagrada na segunda-feira (1º), após pegar uma encomenda na agência dos Correios.

 

A prisão foi realizada pela Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon). Ela negou vender o medicamento, no entanto, entrou em contradição várias vezes em seu depoimento.

 

Os comprimidos de "Cytotec" têm venda e uso restrito no país. Realizar o aborto pode levar à prisão por 3 anos, mas ajudar alguém a abortar tem pena de até 4 anos, podendo ser duplicada se o procedimento levar a grávida à morte.

 

Leia também - Homens encapuzados executam ex-presidiário em Cuiabá

 

Primeiro a mulher disse que comprou o medicamento para uma colega de trabalho grávida, depois confessou que não é a primeira vez que faz a compra ilegal.

 

Ela foi flagrada pelo crime de vender, distribuir ou entregar a consumo medicamento sem registro nos órgãos competentes e de procedência ignorada, considerado crime hediondo com pena de até 15 anos de prisão.

 

A gestante para a qual o remédio seria vendido já foi identificada. Ela está no quarto mês de gravidez e será ouvida pela Decon nos próximos dias. Também são investigadas outras possíveis clientes da suspeita. (Com informação da assessoria)


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br