Gazeta Digital

Justiça manda apreender menor acusada de matar Isabele

Reproodução

Reproodução

Atualiazada às 21h33 -  A Justiça determinou há pouco a apreensão da menor acusada de matar com um tiro no rosto a adolescente Isabele Guimarães Ramos, 14 anos. Ela já está na Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), e deve passar por exame no Instituto Médico Legal (IML) antes de ser levada para o Pomeri. 

 

A apreensão foi determinada pela juíza Cristiane Padim da Silva, da 2ª Vara da Infância e da Juventude, nesta terça-feira (15) que também tornou a menina ré pelo crime cometido. Conforme as informações preliminares apuradas pelo #GD, a decisão judicial aponta que a menor deve ficar apreendida por 45 dias.

 

Passava das 20h30 quando a menina chegou na sede da DEA, acompanhada dos pais e do advogado Artur Osti, que foi visto ao celular falando sobre o caso. Acredita-se que ele tenta um Habeas Corpus para impedir a internação. 

 

No dia 8 de setembro, o MPE protocolou a representação na Justiça pedindo pela internação da menor logo após a conclusão do inquérito da DEA da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica), que concluiu que a autora do disparo deve responder por ato infracional análogo a homicídio doloso, quando há intenção de matar. O documento foi encamihado ao Ministério Público Estadual (MPE) após mais de 50 dias de investigação. 

   

O Caso

Isabele Guimarães Ramos, 14, foi morta com um tiro no rosto quando estava na casa da melhor amiga, uma adolescente de também 14 anos. A amiga alegou que o disparo que matou Isabele foi acidental, no entanto, o inquérito da Polícia Civil concluiu que o homicídio foi doloso, ou seja, com intenção de matar.

 

A investigação durou 50 dias com 4 pessoas apontadas, além da menor e do pai dela, há ainda o indicamento do namorado dela e do pai dele. 

 

O namorado da menor que atirou, por ter levado as armas à casa da família Cestari, foi autuado por ato infracional análogo à posse de arma de fogo. E o pai dele, Glauco Fernando Mesquita Correa da Costa, foi indiciado por omissão de cautela, já que tinha responsabilidade sobre as armas.

 


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br