Gazeta Digital

Atiradora deixa o IML e acaba internada em ala feminina do Pomeri

Reprodução

Reprodução

Atualizada às 22h42 - A adolescente B.C.,15 foi levada para o Centro de Ressocialização Menina Moça, anexo feminino do Pomeri, onde passará 45 internada, conforme determinou a juíza Cristiane Padim da Silva, da 2ª Vara da Infância e da Juventude.


Reportagem do #GD acompanha a movimentação na porta da Delegacia Especializada do Adolescente (DEA) desde às 19h30. Nesse tempo, B. foi levada ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de corpo de delito.


Foi informado ainda que sua internação no Pomeri não seria possível nesta terça-feira (15), já que as internações ocorrem só até às 18h. Mas, não foi o que aconteceu. Após deixar o IML, a menina foi levada direto para o Centro Menina Moça. 

 

Artur Osti, advogado da menina, foi visto falando ao telefone algumas vezes enquanto acompanhava o procedimento na DEA. Ele busca um HC para evitar a internação.


O Caso

Isabele Guimarães Ramos, 14, foi morta com um tiro no rosto, em 12 de julho, quando estava na casa da melhor amiga, uma adolescente de também 14 anos na época do crime. A amiga alegou que o disparo que matou Isabele foi acidental, no entanto, o inquérito da Polícia Civil concluiu que o homicídio foi doloso, ou seja, com intenção de matar.

 

A investigação durou 50 dias com 4 pessoas apontadas, além da menor e do pai dela, há ainda o indicamento do namorado dela e do pai dele. 

 

O namorado da menor que atirou, por ter levado as armas à casa da família Cestari, foi autuado por ato infracional análogo à posse de arma de fogo. E o pai dele, Glauco Fernando Mesquita Correa da Costa, foi indiciado por omissão de cautela, já que tinha responsabilidade sobre as armas.

 


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br