Gazeta Digital

Casas são destruídas e vegetação queimada em despejo de 300 famílias

Reprodução

Reprodução

Moradores do assentamento Boa Sorte, no Distrito Aguaçu, em Cuiabá, estão desesperados diante da ordem de despejo que começou a ser cumprida na quarta-feira (16). Os supostos donos intimidam os assentados e atearam fogo na vegetação para pressioná-los a sair.


Leia também - Dois homens são encontrados mortos, amarrados e com marcas de tiros de 380

 

Segundo informações, a área em que as cerca de 300 famílias estão foi integrada ao Estado, que promoveu a divisão entre os assentados. Agora, o antigo dono requer a posse da terra, alegando que o local foi invadido.


Os assentados têm a escritura da terra reconhecida em cartório, que comprova que a área da fazenda foi adquirida pelo Instituto de Terras do Estado de Mato Grosso (Intermat) e transformada em assentamento.


Segundo informações, a ação de reintegração tramita há 10 anos. No entanto, a sentença com ordem de despejo foi emitida nos últimos dias e cumprida de forma abrupta e violenta, conforme narrou uma moradora. “Não deram tempo para o pessoal da casa, muitos não tinham dinheiro para se mudar. Não conseguiram recolher a criação. Teve gente que largou tudo para trás, o trator passou sobre a casa com móveis e tudo o que tinha dentro”, relata.


Ela narra que a Polícia Militar foi ao local e permaneceu na rodovia onde foi realizado protesto dos moradores. No entanto, no interior da área rural havia homens armados, que ameaçavam os moradores para saírem.


Cerca de mil pessoas moravam no local e estão abrigados na casa de conhecidos ou ao relento.


Em um vídeo feito pelos despejados, o advogado Daniel Ramalho explica a decisão e aponta irregularidades.


O Intermat foi procurado, mas não encaminhou resposta até a publicação da matéria.

 


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br